Repórter feminista da Época pratica violência psicológica contra Gloria Maria em entrevista

No dia 31 de março, no evento Elas por Elas (que discutia o papel da mulher na sociedade contemporânea), a jornalista Gloria Maria sofreu violência psicológica e intimidação por parte de uma entrevistadora enviada pela época, Nana Queiroz, que pratica ativismo feminista em um blog.

Glória Maria disse não se sentir confortável com a expressão empoderamento ao tratar as conquistas da mulher na direção da igualdade de papéis sociais. “É uma palavra de origem americana, que transmite a ideia de que alguém dará o poder para a gente. Na verdade, a gente já tem o poder. Eu quero que me deixem exercer este poder, isso é que é difícil”, diz. Em entrevista à jornalista e escritora feminista Nana Queiroz, a pedido de Época [assista ao vídeo abaixo], ela também se afirma desconfortável com a expressão feminismo. “Nós mulheres temos que ter os mesmos direitos dos homens, não acho que isso é feminismo, isso é direito adquirido. A gente tem que conquistar uma coisa que já é nossa. E acredito que temos que exercer este poder sem causar desgaste”, diz.

A partir daí, Nana Queiroz fez uso de linguagem corporal agressiva, uso de tons de sarcasmo e até linguagem verbal intimidatória contra a jornalista da Globo.

Assista a atitude degradante de Nana Queiroz, em completo desrespeito à Gloria Maria:

 

Anúncios

4 comentários sobre “Repórter feminista da Época pratica violência psicológica contra Gloria Maria em entrevista

  1. Acabamos de assistir o diálogo entre uma mulher de fibra, mais velha, bem sucedida, linda, inteligente e que não fica chorando para que​ alguém faça algo pelos direitos dela, ao contrário vai a luta, e outra garota jovem, Extremamente burra, agressiva, fracassada, frustrada, incapaz de resolver os próprios problemas (que ao que me parece são bem pequenos) preguiçosa, sem a mínima educação ou condições de estar no meio de pessoas civilizadas ou educadas…

Deixe uma resposta