Favorável ao Escola sem Partido, Doria é desafiado por seu secretário

No início de mandato, Doria foi constrangido por sua secretária Soninha Francine que, em entrevista, prometeu políticas públicas para sua pasta opostas às que o Doria se comprometeu em campanha.

Dessa vez é Alexandre Schneider que, no comando da pasta de educação, preferiu se aliar a seus velhos amigos do PSOL e PT para afirmar que Fernando Holiday teria “intimidado professores”, o que se provou falso de acordo com os profissionais que o acompanharam nas visitas.

O posicionamento de Schneider é oposto ao do prefeito que, em entrevista para Carla Zambelli, líder nacional do movimento Nas Ruas, afirmou que era favorável a uma Escola Sem Partido. Veja:

Fica incoerente, portanto, após Schneider se posicionar de maneira diversa, que Doria o mantenha na pasta da educação sabotando suas ideias e políticas para a área educacional do município.

Anúncios

8 comentários sobre “Favorável ao Escola sem Partido, Doria é desafiado por seu secretário

  1. A final DÓRIA ! Vai manter esse inimigo , no Poder de uma das Pastas mais importante pra SÃO PAULO a EDUCAÇÃO ?…
    Ele deveria ser exonerado imediatamente …!!!
    Nao estou entendendo nada ????

  2. Tinha que ser mandado embora esse tal de secretário do diabo! Meu pai sempre mencionou “Diga com quem tu andas e eu direi quem tu és “

Deixe uma resposta