“Cuspiria de novo em Bolsonaro”, diz Jean Wyllys após advertência

O Conselho de Ética da Câmara rejeitou nesta quarta-feira, 5, o pedido de suspensão do mandato do deputado Jean Wyllys (PSOL), por cuspir em seu colega Jair Bolsonaro (PSC) na sessão de abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff, em abril do ano passado. Invés disso, o colegiado optou por uma advertência escrita, a ser lida no plenário. A informação é da Jovem Pan.

Questionado sobre a decisão, Jean Wyllys disse não se arrepender do ato. “Eu cuspiria de novo”, declarou. O deputado disse ainda que esperava que o processo por quebra de decoro fosse arquivado. “Vou acatar, claro, mas considero que o ideal seria o arquivamento.”

Segundo disse o relator no Conselho de Ética, Ricardo Izar, houve sim quebra de decoro. “Caberia cassação, mas a gente levou em consideração atenuantes como as provocações sofridas”, disse Izar. O parecer do relator foi rejeitado por 9 votos a 4.

Anúncios

Um comentário sobre ““Cuspiria de novo em Bolsonaro”, diz Jean Wyllys após advertência

  1. Vamos ver se o povo aprende e não elege mais essas MERDAS para o congresso, eu entendo que o congresso seja um lugar de respeito logo, não podemos qualquer um que se apresente, muitos como esse ai só se apresenta de olho no dinheiro, não quer nem saber de povo e nem de congresso, por isso estava e esta do lado de Lula e Dilma.

Deixe uma resposta