Jornalista de extrema-esquerda de Floripa abre guerra contra parcerias inspiradas por Doria

O jornalista de esquerda Rafael Martini, que faz ataques reiterados ao MBL em sua coluna no Diário Catarinense, iniciou uma campanha em Florianópolis contra as parcerias público-privadas que o prefeito Gean Loureiro está fazendo, tendo como base o modelo de João Dória, em São Paulo.

O colunista tem atacado empresários, vereadores e até mesmo o prefeito da cidade. Pessoas que estão coordenando as parcerias e contribuindo para a redução dos gastos públicos estão na mira do jornalista, que não se conforma com um novo modelo de gestão que visa o desenvolvimento da cidade. Nesta terça-feira, 04, a prefeitura de Florianópolis emitiu uma nota em que diz “lamentar que alguns vereadores cuja ideologia é contrária às PPPs  [parcerias público-privadas] tentem de alguma forma pôr em dúvida parcerias que trazem economia e desenvolvimento para a cidade”.

O ódio do colunista contra o liberalismo não é de hoje. Durante o período das manifestações pelo impeachment de Dilma ele atacou constantemente os movimentos de rua. Em outras oportunidades, ironizou o líder nacional do MBL, Kim Kataguiri, bem como publicou inverdades sobre o coordenador local do MBL em Florianópolis, Ramiro Zinder, que não foram desmentidas, mesmo com pedido formal enviado por e-mail ao jornalista.

Anúncios

15 comentários sobre “Jornalista de extrema-esquerda de Floripa abre guerra contra parcerias inspiradas por Doria

  1. Se o jornalista Rafael Martini for de extrema esquerda, minha vó é uma bicicleta, e emitir opinião é um direito seu, assim como de todo e qualquer cidadão.
    Agora, tecer comentários atacando sua pessoa para colocá-la contra a opinião pública é que é um ato deveras reprovável.

  2. Vocês estão errados. O jornalista não é de esquerda, muito menos extrema. Ele é apenas jornalista. A PPP que o prefeito de Florianópolis fez com uma empresa, aparece um de seus secretários como sócio, secretário este responsável pelos contratos das PPPs com a prefeitura. A Câmara abriu uma CPI após assinaturas de quase 2/3 dos vereadores, incluindo vereadores da base do governo. Na próxima vez, utilizem fontes para informações com seus próprios colegas de profissão, e não seus colegas de partido.

  3. Não é ser de esquerda, é ser minimamente coerente. O Rafael é um excelente jornalista e não tem que prestar nenhum tipo de esclarecimento pra um site apócrifo e estúpido como esse.

  4. Eles são contra porque não estão tendo chance de cobrar propina dos empresários…. então ficam bravos com a chance desperdiçada.

    1. Basta buscar um pouquinho na net que já se acha a verdade:

      Por Gilberto Dimenstein.

      Não fomos nós que vencemos. Mas, em primeiro lugar, o jornalismo e, depois, a democracia que nos permite buscar a transparência.
      Depois de três semanas investigando o site-fantasma JornaLivre, eles se renderam. Anunciaram o fim do covarde anonimato – nesta semana, a polícia decidiu investigar o site que lança notícias falsas contra jornalistas, políticos e artistas. Quem se apresenta como editor é “Roger Scar”. Seu nome verdadeiro é Roger Roberto Dias André, militante do DEM —http://bit.ly/2oyyXQY;
      Mostramos como funciona a complexa engrenagem de destruição de reputações envolvendo sites-fantasmas e perfis falsos que, aparentemente desconectados, se entrelaçam e movem as redes sociais num bombardeio incessante de mentiras que, de tão repetidas, ganham aparência de verdade. Quanto mais o Catraca avançava nas investigações, mais intensos eram os ataques disparados por perfis falsos. Chegaram ao ponto de invadir agressivamente um encontro que fazíamos sobre o ódio e notícias falsas na internet – a invasão foi filmada –(http://bit.ly/2oNTVr9)
      Entre as “notícias” publicadas pelo site: Delfim Netto é comunista; Otavio Frias Filho, dono da Folha, ligado ao PT; André Petry, diretor de redação da Veja, é de extrema-esquerda; Dona Maria Leticia, falecida mulher de Lula, tinha uma aposentadoria de R$ 68 mil do “Congresso Nacional”; Wagner Moura recebeu dinheiro do MTST para gravar uma propaganda; Letícia Sabatella ganhou dinheiro do PT para seguir carreira de cantora.
      Essa uma pequena vitória de uma batalha. A guerra maior contra grupos comerciais e políticos que transformaram a internet em terra de ninguém.

  5. Não é o único jornalista que no DC, produto da RBS, exerce toda a sua postura ideologica de esquerda. Fazem igual ao debocharem da memoria histórica catarinense quando defendem demarcação de aldeias para índios paraguaios as margens da BR101, onde mais de 20 indigenas, é claro, morreram atropelados. Sta. Catarina não forma e nem expressa opinião, não enquanto esta empresa vinda do Rio Grande do Sul monopolizar as midias informativas em nosso estado

  6. Vocês estão errados. O jornalista não é de esquerda, muito menos extrema. Ele é apenas jornalista. A PPP que o prefeito de Florianópolis fez com uma empresa, aparece um de seus secretários como sócio, secretário este responsável pelos contratos das PPPs com a prefeitura. A Câmara abriu uma CPI após assinaturas de quase 2/3 dos vereadores, incluindo vereadores da base do governo. Na próxima vez, utilizem fontes para informações com seus próprios colegas de profissão, e não seus colegas de partido.

Deixe uma resposta