Com o fim do “Ciência sem Fronteiras”, grupo Samba Rousseff terá que se contentar com o Brasil

O jornal O Globo fez uma matéria de vinte parágrafos sobre um grupinho de samba-pagode formado por universitários que foram bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras, também conhecido como “Turismo sem Fronteiras”. Basicamente, alguns sortudos ganhavam bolsa de estudos e iam morar na Europa para curtir e festar, o que a maioria fazia. Poucos eram os que realmente iam para estudar. Prova do fracasso do programa é justamente que o mesmo chegou ao seu fim sem trazer resultados positivos.

Abaixo, alguns trechos selecionados da matéria feita pelo jornal O Globo.

“No embalo dos pandeiros e cavaquinhos, sete universitários brasileiros que se conheceram durante intercâmbio em Portugal em 2012 prometem agora reeditar a banda que criaram na Europa. Tudo leva a crer que, para a festa de réveillon deste ano, a Samba Rousseff estará de volta à ativa, desta vez em Fortaleza (CE).

O grupo surgiu no final de 2012, da união de dois intercambistas e cinco bolsistas do programa Ciência Sem Fronteiras (CsF) que chegaram à “terrinha” para estudar na Universidade do Porto. Não por acaso, o lema do conjunto, estampado nas camisas oficiais que a banda vendeu a nove euros, era “O nosso samba é sem fronteiras.”

Com um repertório que ia de Revelação, passando por Parangolé e Thiaguinho, e terminando no já consagrado sertanejo universitário, a banda Samba Rousseff embalou estudantes brasileiros, portugueses e outros europeus até meados de 2013. No começo, quase não havia ensaio para as performances. O improviso é que dava a cadência do samba.

Em junho de 2013, enquanto brasileiros por aqui tomavam as ruas nos maiores protestos do país nos últimos 20 anos, o Samba Rousseff de pagode fazia sua despedida dos palcos, com direito a vídeo em que a trilha sonora era “O show tem que continuar”, de Arlindo Cruz. O motivo era o fim do período de intercâmbio de parte dos integrantes da banda.”

Anúncios

Um comentário sobre “Com o fim do “Ciência sem Fronteiras”, grupo Samba Rousseff terá que se contentar com o Brasil

  1. Almofadinhas usando dinheiro público pra se promover , enquanto os que realmente querem estudar, so rala e muitos sem sucesso profissional por falta de emprego com essa economia quebrada. Mas vamos consegue. Força BRASIL.

Deixe uma resposta