Denúncia da Veja contra Aécio pode ter sido factoide a serviço do PT

A revista Veja publicou neste fim de semana uma matéria de capa contra Aécio Neves, colocando contra ele informações não devidamente verificadas. Ao que tudo indica, não há evidências contra o senador tucano.

O site Sul Connection apurou que a revista pode ter repetido um feito já realizado antes, em 1993, contra Ibsen Pinheiro, então pré-candidato a presidência no ano seguinte, quando FHC se elegeu pela primeira vez. Curiosamente, como o site aponta, 11 anos após o assassinato da reputação de Ibsen, o próprio editor chefe da revista Veja, na época Luís Costa Pinto, de apelido “Lula”, reconheceu o “erro”.

“11 anos depois da sacanagem, eis que Costa Pinto resolveu aliviar a consciência contando a verdade ao próprio Ibsen: ele e Veja haviam caído em uma armadilha montada por Waldomiro Diniz, então assessor do deputado federal José Dirceu (PT). Em época de hiperinflação, pacotes econômicos consecutivos e mudanças de regras monetárias praticamente diárias, Diniz conseguiu fraudar documentos transformando uma operação de meros U$ 1 mil em U$ 1 milhão. Veja e Costa Pinto já sabiam do equívoco quando a revista estava pronta para ser rodada. Mas ao invés de corrigir a matéria, preferiu encontrar alguém que bancasse a versão fraudulenta. O então deputado Benito Gama topou ajudar a manter a fraude em pé.”, escreveu o Sul Connection.

Hoje a revista está sob o comando de um petista, André Petry, que inclusive demitiu de seus quadros alguns colunistas que eram notoriamente críticos ao PT, como Joice Hasselmann e Rodrigo Constantino. Será que essa história está mesmo se repetindo?

Anúncios

Deixe uma resposta