Catraca Livre já recebeu 1,1 milhão de reais da Lei Rouanet e pode receber o dobro disso em 2017

Gilberto Dimenstein – criador do site de “fake news” Catraca Livre, proprietário de um boteco beneficiado por fechamento de rua (desde o período Haddad), dono de organização favorecida pela Lei Rouanet, adepto da extrema-esquerda, demandador de censura e praticante de linchamentos virtuais – sempre é questionado pelo recebimento de ajuda estatal para seus empreendimentos.

Conforme matéria do ILISP, seu portal de extrema-esquerda, Catraca Livre, recebeu R$ 1,1 milhão dos pagadores de impostos brasileiros por meio da Lei Rouanet durante o governo Dilma Rousseff e pode receber mais R$ 2,2 milhões por meio da lei em 2017.

Tal como diz o Salic.net, portal de informações do Ministério da Cultura sobre os projetos financiados pela Lei Rouanet, a empresa “Catraca Livre Portal e Comunicação Ltda” teve R$ 4.253.148,16 aprovados para captação por meio da lei, em três projetos, todos durante o governo Dilma Rousseff: “Projeto Catraca Livre”, “Catraca Livre 2015” e “Estação Catraca Livre”. O site ultraesquerdista, entretanto, captou efetivamente R$ 1.100.000,00 do dinheiro dos pagadores de impostos até o momento.

O primeiro projeto, “Projeto Catraca Livre”, teria sido criado única e exclusivamente para financiar o site em 2014, tendo R$ 736.560,00 aprovados para captação pelo governo Dilma e R$ 700.000,00 efetivamente captados. Os principais destinadores do dinheiro tomado dos pagadores de impostos foram o Banco Itaucard (R$ 400.000,00) e duas concessionárias de rodovias paulistas: a Viaoeste S.A. e a Bandeirantes S/A (R$ 150.000,00 cada).

O segundo projeto, “Catraca Livre 2015”, igualmente foi criado única e exclusivamente para financiar o site em 2015 e 2016, tendo R$ 1.286.228,16 aprovados para captação pelo governo Dilma e R$ 400.000,00 efetivamente captados. Novamente, o Banco Itaucard destinou R$ 400.000,00 do dinheiro dos pagadores de impostos para o site, sendo dessa vez o único apoiador.
Por fim, o site aprovou um terceiro projeto, o “Estação Catraca Livre”, que teria como objetivo “apresentar ao grande público bandas e artistas do circuito instrumental independente nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte”. O projeto teve R$ 2.230.360,00 aprovados para captação em 2016, entretanto, mas nenhum valor foi efetivamente captado até o final do ano passado. Lamentavelmente, o governo Temer, entretanto, prorrogou o prazo de captação esse ano.
Dados disponíveis no site da Receita Federal mostram que a “Catraca Livre Portal e Comunicação Ltda.” possui capital social de R$ 597.250,00 e tem como sócios-administradores Marcos Dimenstein, filho de Gilberto Dimenstein, e Lia Roitburd. Outros sócios do site incluem: Gabriel Dimenstein (também filho de Gilberto Dimenstein), Erika Cristina Domingues Vieira (produtora do documentário “É Preciso não Ter Medo – Relatos de Carlos Marighella“), Alexandre de Maio (idealizador e fundador da Revista Rap Brasil, também escreve para outro portal de esquerda, a “Agência Pública”, ligada a Leonardo Sakamoto e financiada por George Soros) e a empresa “Cidade Aberta Administradora de Empreendimentos Sociais Ltda”, que têm como sócios Gilberto Dimenstein e seus dois filhos. Todas as informações estão de acordo com o site do ILISP. 
Anúncios

3 comentários sobre “Catraca Livre já recebeu 1,1 milhão de reais da Lei Rouanet e pode receber o dobro disso em 2017

Deixe uma resposta