Depois da incrível resposta de Doria, ficaram claras suas diferenças em relação aos políticos tradicionais

Ontem, 28/03, foi um dia que ficará marcado na história da Amazon. Mas não uma data a ser comemorada. Pelo contrário: uma data para se aprender com os erros.

Como pode ser visto na análise de Felipe Moura Brasil, da Veja, depois da surra de marketing e atitude que Doria deu na empresa de vendas online mundial ficou nítida a diferença entre o prefeito de São Paulo e o resto dos políticos no geral. Depois de uma série de derrotas sofridas pelos tucanos tradicionais nas eleições presidenciais de 2002 e 2010 (José Serra), 2006 (Geraldo Alckmin) e 2014 (Aécio Neves): a capacidade de contra-atacar, usando o peso do adversário contra ele próprio se tornou um dos grandes trunfos de Doria.

“Eu acabei de assistir ao comercial que a Amazon fez para o seu produto Kindle”, disse o prefeito paulista em vídeo publicado em seu Facebook.

“Já que a Amazon gosta tanto de São Paulo, gosta tanto do Brasil, ajude a nossa cidade. Ajude a quem precisa. Se vocês gostam realmente, doem livros para as bibliotecas, doem computadores para as escolas públicas municipais, doem aquilo que a população precisa para fazer dessa cidade uma cidade mais feliz. A população agradece”, disse o gestor em vídeo que pode ser conferido abaixo.

 

Tudo começou com o comercial do Kindle – leitor eletrônico de livros, da Amazon – onde são vistos alguns muros de São Paulo e é feita a pergunta “Cobriram a cidade de cinza?”, como referência à política de Doria de apagar grafites, segundo ele, “envelhecidos” ou “mutilados por pichadores” na avenida 23 de Maio. Em seguida, citações de escritores aparecem projetadas nas paredes acinzentadas. Confira no vídeo abaixo.

 

 

 

Para se ter uma ideia da diferença de atitude, vamos recapitular: em 2006, Alckmin, vestindo um casaco com os símbolos das estatais, queria provar que não era “privatista”, como o PT o acusava. Doria não vestiu um casaco com pichações para reagir à Amazon.

Em seguida, em  2010, Serra defendeu a criação de uma 13ª parcela em favor dos beneficiários do Bolsa-família para provar seu amor ao programa . Por outro lado, Doria não precisou oferecer um 13º aos grafiteiros.

Em 2014, o então candidato Aécio se limitou a chamar a propaganda do PT sobre os “fantasmas do passado” de “ato de um governo que vive seus estertores”. No entanto, Doria não precisou se limitar a um lamento pedante.

Ou seja, Doria trocou as respostas defensivas tradicionais por contra-ataques objetivos, inteligentes e engraçados que normalmente, deixam seus oponentes em saias justas publicitárias que exigem ação rápida e, muitas vezes, se render à razão.

No fim, o maior vencedor é o povo, que teve doações de concorrentes da Amazon e dela própria.

Anúncios

3 comentários sobre “Depois da incrível resposta de Doria, ficaram claras suas diferenças em relação aos políticos tradicionais

  1. olha, estou apreciando cada vez mais o prefeito Dória pela sua garra, sua independência do partido político agindo com rapidez, com inteligência e resolvendo as questões que aparecem!!!! parabéns prefeito o sr está conquistando cada vez mais o respeito dos cidadãos de bem!!!

  2. Doria é tudo que Sāo Paulo precisava, ótimo gestor, competente e acima de tudo cumpridor de promessas de campanhā, coisa que até entāo nenhum político conseguiu fazer, com certeza um dia seremos igual ou melhor que Nova York….. acelera Sāo Paulo !!!

Deixe uma resposta