TSE indefere pedido de defesa de Dilma. Ação vai ser julgada em abril

O Tribunal Superior Eleitoral indeferiu o pedido da defesa de Dilma Rousseff para ampliar o prazo de análise de novos documentos juntados ao processo que investiga possível abuso de poder político e econômico pela chapa Dilma-Temer na eleição de 2014.Tanto os advogados da ex-presidente quanto os de Michel queriam mais prazo para se manifestarem.

Os últimos papéis anexados ao processo são informações compartilhadas pelo juiz Sergio Moro, relatórios de diligências feitas pela Polícia Federal e documentos do Ministério Público Eleitoral que, conforme os defensores, somam mais de duas mil páginas.

As páginas teriam sido incluídas à ação na última terça-feira, o que não lhes daria tempo para analisar estas novas provas, já que a eles – e ao PSDB, que é autor da ação – foram dados dois dias para enviar suas argumentações finais ao TSE. No entanto, no despacho do Juiz da Corregedoria da justiça Eleitoral, Bruno Cesar Lorencini, o magistrado afirma que tais papéis estavam há mais tempo no processo. Por isso ele indeferiu o pedido para estender o prazo de defesa.

Depois dessas alegações finais, o relator da ação, o ministro Herman Benjamim pode apresentar o seu voto a qualquer momento.Caberá ao presidente do Tribunal, Gilmar Mendes, pautar o julgamento. Com isso, o julgamento poderia ocorrer já no mês de abril. Esta ação pode levar à cassação da chapa eleita em 2014.

As informações são da Jovem Pan.

Anúncios

Deixe uma resposta