Em editorial, Estadão expõe a urgência da Reforma da Previdência e os inimigos dela

O Estadão publicou hoje um editorial expondo a urgência da Reforma da Previdência e fazendo duras críticas aos deputados que apresentaram emendas que tentam amenizar a reforma, sob a falsa justificativa de estar do lado do povo. Confira alguns trechos:

“Em vez de representar um corajoso compromisso com os interesses da população – como querem fazer crer alguns –, essa voracidade na apresentação de emendas evidencia que muitos parlamentares ainda não entenderam a necessidade nem a finalidade da PEC 287/2016, optando por avaliá-la tão somente pelo viés de categorias preconcebidas, sem conexão com a realidade (…). Ainda que alguns deputados não queiram ver, há um insustentável rombo da Previdência. Em 2016, o déficit previdenciário das contas da União, dos Estados e dos municípios foi de R$ 305,4 bilhões. Achar que o Estado conseguirá sustentar, ano após ano, um rombo dessa magnitude revela um grave desconhecimento das contas públicas (…). É preciso alertar, portanto, que o discurso em defesa dos interesses da população que embala as emendas não é verdadeiro. Mitigar a reforma da Previdência é obrigar o Estado a pagar uma conta crescente, o que inviabiliza a concretização das outras obrigações intransferíveis do poder público. Isso, porém, certos deputados preferem não mencionar. Não é razoável achar que se pode defender os interesses da população fechando os olhos ao déficit da Previdência.”

 

Advertisements
Anúncios

Deixe uma resposta