Na Previdência atual, ricos se aposentam mais cedo que os pobres e ainda ganham mais

O “Idade Mínima: perguntas e respostas”, documento já citado pelo site Implicante, menciona um segundo estudo, dessa vez do IPEA, mas igualmente na gestão Dilma. Nele, é esclarecido que “dentre os brasileiros que se aposentam precocemente por tempo de contribuição, quase dois terços estão na verdade entre os 40% mais ‘ricos’ do país, proporção que é quase o dobro da verificada entre os aposentados rurais.”

O texto do IPEA é ainda mais contundente. Porque esclarece que, se o modelo atual não for modificado, a situação permanecerá a mesma. E o que ocorre nela? Ricos se aposentam mais cedo ganhando mais, enquanto pobres trabalham mais e ganham bem menos.

63% dos que se aposentaram precocemente estão nos 4 décimos mais altos da renda domiciliar per capita brasileira (isso é, entre os 40% mais ricos). Entre os aposentados rurais, utilizados aqui com propósitos comparativos, essa proporção cai para 33,4%. Dessa maneira, percebe-se intuitivamente que o aumento das despesas em benefícios de aposentadoria por tempo de contribuição vai piorar a desigualdade de renda no Brasil – e deve-se lembrar que, a despeito da redução da desigualdade observada desde o início dos anos 2000, o Brasil segue sendo um dos países mais desiguais do mundo.”

Todas as informações são do site O Implicante.

Anúncios

3 comentários sobre “Na Previdência atual, ricos se aposentam mais cedo que os pobres e ainda ganham mais

  1. Conclusão óbvia => Se o modelo atual não for modificado, a situação continuará a mesma, no entanto, se o modelo atual for modificado, daqui no máximo 20 anos precisaremos de outra reforma da previdência. Portanto, não tem como consertar um modelo que é falho por sua natureza. Previdência deveria ser um sistema de capitalização e nunca jamais um sistema de pirâmide onde muitos pagam a aposentadoria de outros.

Deixe uma resposta