Venezuela quer controlar suas padarias para garantir a “democratização dos pães”

O próximo passo da guerra travada pela Venezuela contra o capitalismo opressor e fascista, quem diria, vai ser disputada nas padarias. Ao menos é o que diz o lunático vice-presidente Tareck El Aissami. Ele anunciou no último domingo (12/03) que a partir de ontem (13/03) o governo implantará uma nova legislação em relação às padarias do país para por um fim na “guerra do pão”, que, de acordo com ele, é praticada pelo sindicato do setor para criar escassez.

Como mostrou artigo publicado pela Época Negócios, entre outras bobagens, El Aissami disse que 90% da matéria-prima das padarias deve ser destinada exclusivamente à produção de pães e que elas não poderão ter mais de 300 sacos de farinha por mês em seu estoque. Naturalmente, também disse que não será permitido o “empréstimo” de matéria-prima entre as padarias.

“Todos os dias haverá uma inspeção e a padaria que descumprir a legislação vai ser ocupada temporariamente pelo governo. Depois, vamos transferi-la aos CLAP (Comitês Locais de Abastecimento e Produção)”, garantiu El Aissami em seu programa dominical na televisão do presidente do país, Nicolás Maduro.

“Devemos garantir que de 6h até o fechamento das padarias se produza pão. E os primeiros pães têm que ser vendidos, no mais tardar, às 7h”, explicou o vice-presidente. Estado demais nunca faz bem, como pode ser visto.

 

Anúncios

Um comentário sobre “Venezuela quer controlar suas padarias para garantir a “democratização dos pães”

Deixe uma resposta