Dilma diz que seu “único erro” foi a desoneração fiscal… Não foi!

por Baltazar Soares

Em Genebra, na Suíça, após falar francês de forma ainda menos brilhante do que fala o nosso idioma, Dilma afirmou que seu “único erro” foi ter praticado a desoneração fiscal, cuja finalidade seria, no caso, aumentar os investimentos. Mostrando que não tem o mínimo senso moral, ela ainda culpou os empresários: “Eles aumentaram o lucro.”

O primeiro ponto a se observar é essa história de “único erro”. Com certeza nem ela acredita que só cometeu um, já que foram tantos. Mas os erros em si não são o maior problema. O verdadeiro problema de Dilma está naquilo em que ela acertou: trapacear, mentir e roubar. Vou explicar…

Não é que trapacear, mentir ou roubar sejam coisas certas a se fazer. Elas são erradas. O ponto é que Dilma não é nenhuma santa, ela não é uma pobre diaba bem intencionada que cometeu alguns errinhos. Ao contrário! É alguém cuja trajetória nos dá conta dos fatos, e estes fatos são bem claros: ela sempre trabalhou em prol do projeto totalitário da extrema-esquerda, mais especificamente do PT. Não foram “erros”, foram acertos, mas acertos maléficos. Dilma jamais quis favorecer a população, mas o partido!

Ainda assim, a desoneração fiscal pode ter sido, talvez, seu único acerto do ponto de vista ético. Do ponto de vista estratégico em prol da extrema-esquerda, Dilma foi providencial. Serviu direitinho aos interesses do grupo ao qual sempre pertenceu. Tem alguma coisa que a extrema-esquerda faça, senão roubar e praticar todo tipo de violência contra os cidadãos de bem?

Advertisements
Anúncios

Deixe uma resposta