Sérgio Moro desmonta críticos das prisões preventivas

Em despacho autorizado hoje, 23, a 38ª fase da Operação Lava Jato intitulada “Blackout”, o juiz Sério Moro desmontou críticos das prisões preventivas nas investigações do esquema de corrupção da Petrobras.

Moro afirmou que atualmente há somente sete presos provisórios sem julgamento, e que a medida, embora drástica, foi essencial para interromper a carreira criminosa de Paulo Roberto Costa, Renato de Souza Duque, Alberto Youssef e de Fernando Soares, entre outros, além de interromper a atividade do cartel das empreiteiras e o pagamento de propinas a agentes públicos.

“Embora as prisões cautelares decretadas no âmbito da Operação Lava Jato recebam pontualmente críticas, o fato é que, se a corrupção é sistêmica e profunda, impõe-se a prisão preventiva para debelá-la, sob pena de agravamento progressivo do quadro criminoso”, escreveu o juiz.

Anúncios

2 comentários sobre “Sérgio Moro desmonta críticos das prisões preventivas

Deixe uma resposta