Governo Temer corta 100% do patrocínio da Petrobrás ao carnaval. E os que querem mamar?

Pela primeira vez em uma década, a Petrobras não investirá um centavo no patrocínio do Carnaval. A medida foi tomada pela nova gestão da estatal, substituída no ano passado com a ascensão de Michel Temer (PMDB) à Presidência de República.

No centro de escândalos de corrupção investigados pela Operação Lava Jato e acumulando prejuízos bilionários, a Petrobras já vinha reduzindo o valor destinado ao patrocínio do Carnaval nos últimos dois anos.

Em nota, a Petrobras justificou os cortes alegando “questões orçamentárias” e informou que está “readequando sua carteira de projetos à luz de uma revisão de seus programas de patrocínio”.

A estatal já chegou a gastar R$ 22 milhões por ano com o patrocínio de blocos, trios elétricos e escolas de samba nos Carnavais de Salvador e Rio de Janeiro. O auge dos investimentos foi o Carnaval de 2014, um mês antes da deflagração da Operação Lava Jato. No Rio, a Petrobras patrocinou escolas de samba entre 2008 e 2015, num formato em que o valor do patrocínio era abatido em tributos pagos pela Petrobras ao governo estadual.

Os contratos previam repasses de R$ 12 milhões por ano à Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), que repassava R$ 1 milhão para cada escola de samba do grupo especial. Em 2016, o valor do contrato foi reduzido para R$ 2,4 milhões e, este ano, as escolas de samba não receberão nenhum centavo.

A matéria é da Folha de São Paulo.

Anúncios

Um comentário sobre “Governo Temer corta 100% do patrocínio da Petrobrás ao carnaval. E os que querem mamar?

  1. ESTE TIPO DE PATROCÍNIO, NUNCA DEVERIA TER EXISTIDO, COMO TEM AINDA MUITOS, A SER CORTADO, NÃO SÓ DA PETROBRAS, MAS TAMBÉM DOS CORREIOS, CEF, BB E OUTROS.

Deixe uma resposta