Direito de resposta à Luiza Nassif

No início do mês o Jornalivre publicou uma matéria com a informação equivocada de que Luiza Nassif Pires teria organizado o protesto contra Sérgio Moro em Nova York. Foi afirmado, ainda, que a mesma seria filha do colunista Luis Nassif. Esta informação foi divulgada pela jornalista Joice Hasselmann e também pela Folha de São Paulo. Por serem uma figura e um veículo de informação reconhecidos, nossa equipe acabou reproduzindo a notícia, que no entanto não estava totalmente precisa quanto aos detalhes.

Abaixo, uma carta de esclarecimento que nos foi enviada por Luiza Nassif.

Carta de esclarecimento

Segundo material divulgado por este meio de comunicação, seria filha de um jornalista e teria sido líder de uma manifestação contra o Moro ou participado de tal manifestação. Quanto ao jornalista, jamais encontrei ou conversei. Quanto às manifestações, não estive dentro do evento que ocorreu na Columbia no dia 6 de Janeiro de 2017. Não liderei ou participei de manifestação contra o Juiz Sérgio Moro ou contra a Lava Jato. Eu estava em um protesto em nome da pluralidade acadêmica e liberdade de expressão, contrário ao que as notícias falsas presumem.

Não apenas não vaiei ninguém, como não estava associada ao grupo que tentou fazer uma intervenção no início do evento. Havia duas manifestações ocorrendo em paralelo naquele dia.

A primeira manifestação, do grupo Defend Democracy in Brazil, foi responsável pelas intervenções dentro do evento. Gostaria de esclarecer que não havia estudantes da The New School ligados a esse grupo, nenhum dos manifestantes retirados da palestra do Juiz Sérgio Moro era estudante.

A segunda manifestação, da qual eu era apenas uma dentre outros líderes, era a favor da liberdade de expressão dentro da academia e contra a organização do evento que se recusou a dar espaço para vozes antagônicas à forma como o Juiz Sérgio Moro vem atuando no âmbito da Lava Jato. Jamais pedi para que cancelassem o evento ou me opus à vinda do Juiz Sérgio Moro, apenas me opus à intransigência dos organizadores em reconhecer que o evento, tal qual eles o propuseram, apenas apresentava um ponto de vista dentre muitos existentes hoje. Tenho amplas provas do que estou narrando e gostaria que as notícias falsas fossem corrigidas o quanto antes para frear os danos morais que estou sofrendo.

Eu estava do lado de fora do evento, segurando um cartaz que representava tal voz dissonante dentro da New School e distribuindo a carta aberta escrita por alunos e assinada por 175 alunos, professores e ex-alunos da The New school, Columbia University entre outros. O documento que eu, junto a outros alunos da The New School, estava distribuindo pode ser acessado neste link: https://goo.gl/QceQx7. Gostaria de também afirmar que nenhum dos jornalistas que me entrevistaram naquele dia afirmaram em suas reportagens que eu seria líder de alguma manifestação ou disseram que eu estava ligada ao grupo responsável pela intervenção ocorrida dentro do evento.

Luiza Nassif Pires

Anúncios

Um comentário sobre “Direito de resposta à Luiza Nassif

  1. “Não estava totalmente precisa quanto aos detalhes” = era mentira…
    Jornalismo se faz com honestidade e admitindo os erros. Mais verdade, gente, menos mentira. Por favor.

Deixe uma resposta