Estadão é massacrado nas redes após mentir sobre Fernando Holiday

Não está fácil produzir Fake News hoje em dia. Em lamentável matéria pró-PT, o jornal Estado de São Paulo utiliza a manchete  “Vereadora do PT acusa assessores de Fernando Holiday de agressão”, como se a acusação da petista valesse mais que a invasão do gabinete do jovem coordenador do MBL e a tentativa de agressão que ela mesma cometeu. A falta de noção foi tão que grande que o próprio vídeo contido na matéria refuta seu título.

Internautas não perdoaram e fulminaram o panfleto com diversas acusações:

Paulo Henrique Benedicto : Quem viu o vídeo sabe que não é verdade.
Ela que foi para cima do Holliday e tiveram que segura-la.”

Fábio Abdala :Tem video Estadão de bosta…claramente se vê essa vereadora doente indo pra cima do Fernando…que porra de titulo é esse? e depois disso, ainda invadiram o gabinete dele…vê se pode? e vcs dando voz a esses fdp…mas essa midia consegue ser mais escrota q essa gente”

Kety Daiana : Sério Estadão? Ela que tenta agredir o Holiday na frente de todo mundo na Camara e o título da matéria que sai é esse??”

Priscila Kff : Fake news Estadão!!! Foi o contrário… Ela e os petralhas que invadiram e bateram nos assessores do Holiday!!! Inclusive foi filmado!!!!!”

A página de Facebook do Estadão está tomada de críticas similares. Não será com armações deste tipo que irão calar figuras como Fernando Holiday…

 

 

Advertisements
Anúncios

8 comentários sobre “Estadão é massacrado nas redes após mentir sobre Fernando Holiday

  1. Esse jornal é aquele que chama o ladrão preso em flagrante com a arma que matou uma vítima de SUSPEITO.Chama a assassina do Embaixador da Grécia de viúva e assassino amante de PM ,essas manchetes são ridículas e não pegam,ei jornalistas amestrados atualizem-se !!!

  2. Uma das definições de dicionário para TRÁFICO é: “negociar com mercadoria FRAUDULENTA (‘fake’, em inglês).

    Assim, VENDER notícia MENTIROSA, como, no caso, fez o tal de Estadão: é exatamente negociar com mercadoria fraudulenta.

    Trata-se, portanto, de TRÁFICO de INFORMAÇÃO; e quem o faz não passa de TRAFICANTE da INFORMAÇÃO.

    Já, a organização da mídia (Estadão, no caso; mas todas as outras ) que abrigam vários desses indivíduos (pretensos jornalistas) transformam-se em verdadeiras QUADRILHAS de TRAFICANTES da INFORMAÇÃO.

Deixe uma resposta