Candidato ao Ministério da Justiça, Mariz já chamou a Lava-Jato de “inquisição”

O advogado Antonio Claudio Mariz de Oliveira é um dos nomes com possibilidade para ocupar a pasta da Justiça, ministério anteriormente chefiado por Alexandre de Moraes, agora já afastado do cargo. No entanto, há um “pequeno problema” aí: Mariz já criticou a Operação Lava-Jato e a chamou de “espécie de inquisição”.

De acordo com matéria publicada no dia 14 de janeiro de 2016 pelo Estadão, um grupo de advogados criminalistas e constitucionalistas escreveu um manifesto contra a Operação Lava Jato. O documento continha a assinatura de diversos juristas, alguns deles até mesmo defensores de réus no processo. Mariz estava entre eles.

Em determinado trecho, o manifesto dizia:

“Nunca houve um caso penal em que as violações às regras mínimas para um justo processo estejam ocorrendo em relação a um número tão grande de réus e de forma tão sistemática”

A carta também dizia que “o que se tem visto nos últimos tempos é uma espécie de inquisição, ou neoinquisição, em que já se sabe, antes mesmo de começarem os processos, qual será o seu resultado, servindo as etapas processuais que se seguem entre a denúncia e a sentença apenas para cumprir ‘indesejáveis’ formalidades.’”

Advertisements
Anúncios

Um comentário sobre “Candidato ao Ministério da Justiça, Mariz já chamou a Lava-Jato de “inquisição”

Deixe uma resposta