Estudante que tripudiou ao passar em primeiro lugar na USP contou com 25% de bônus nas notas

“A casa-grande surta quando a senzala vira médica”, frase dita por Bruna Sena, aprovada em primeiro lugar para o curso de medicina da USP. Com claro viés esquerdista, a mesma tripudiou em sua aprovação dizendo que teme ser vítima de racismo na universidade, que aliás é um antro de esquerdistas.

O que acontece, no entanto, é que Bruna teve um “empurrãozinho” para passar em primeiro lugar na competição, e isso até ela sabe. Em matéria publicada no site G1, foi dito o seguinte:

“Tive pontuação acrescida tanto na primeira quanto na segunda fase. Na verdade eu não me lembro como fiquei sabendo, mas acho que foi porque fui pesquisando mesmo porque eu sempre quis a USP, tanto que fiz a Fuvest no segundo ano e no terceiro [do ensino médio] e por isso tive um acréscimo”, explica Bruna.

Desde 2014, a USP dá bônus de 15% na nota final para todos os alunos que fizeram o ensino fundamental todo na rede pública, e fazem ou estão fazendo o ensino médio em escolas públicas (no caso de quem só fez o ensino médio na rede pública, o bônus é de 12%). Para isso, é preciso ter no mínimo 27 acertos na primeira fase.

Candidatos que participam também do Programa de Avaliação Seriada (Pasusp) têm direito a 20% de bônus: nesse caso, é preciso ter cursado o ensino fundamental na rede pública e ainda estar cursando o ensino médio em escola pública, além de fazer a Fuvest em dois anos seguidos, no segundo e no terceiro do ensino médio. Já os candidatos pretos, pardos e indígenas que cursaram ensino fundamental e médio em escola pública recebem ainda 5% de bônus adicional (neste caso, o bônus pode chegar a um teto de 25%).

Anúncios

228 comentários sobre “Estudante que tripudiou ao passar em primeiro lugar na USP contou com 25% de bônus nas notas

  1. Se um ser humano de pele branca dissesse que a “SENZALA SURTA QUANDO A CASA GRANDE FICA POR CIMA” seria considerado racismo e seu autor seria processado.
    O que ela disse foi além do racismo. Na primeira oportunidade que teve, demonstrou racismo e ódio por pessoas de pele branca.
    ELA COMETEU UM CRIME DE INTOLERÂNCIA RACIAL. Ela é o que disse. Uma pessoa cheia de ódio e racista. Ninguém vai processa-la?

    1. Processar por uma frase inoportuna? Quem puniu quando o homem branco escravizava os negros, torturava, estuprava e aos seres humanos de pele branca que comete crimes por conta do racismo. Vai se catar, moralista sem esclarecimento!!! Vc é só mais um dentre os milhares com o racismo velado na sua doente hipocrisia!!!

      1. O ‘homem branco’ puniu o ‘homem branco’ quando fez disso uma coisa ilegal, espertão. Aliás não só brancos, mas de todas as cores também. Ou você acha que estupro e escravidão só acontecia com negros? Ah sim, pergunta para o pessoalzinho da África se lá já não existia escravidão ENTRE OS NEGROS, muito antes da chegada do opressor povo branco. Ou também devo mencionar que haviam tribos que trocavam suas mulheres por cães? Talvez um exemplo mais recente, os muçulmanos escravizam cristãos e minorias religiosas ATÉ HOJE. Quem é hipócrita aqui é você, amigo. Sugiro ouvir o que o Big Joe tem a dizer sobre esse tipo de atitude.

      2. Quem puniu os negros quando esses escravizaram os brancos por mais de 700 anos? Os negros foram escravizados por menos de 400 anos. Quem vai pagar a conta histórica dos brancos escravizados por 700 anos? É bom estudar história, mas não a história do teu professorzinho de história de esquerda que manipula.

      3. Se não foram punidos no passado, que sejam punidos agora.
        Ops…esqueci! Os caras estão mortos faz um tempão! Como vamos puni-los?
        Hum…já sei!
        Precisamos de bodes expiatórios!
        Mas quem serão?
        Já sei! Vamos pegar uma geração de pessoas que nem viveram naquele tempo e vamos puni-las porque em um passado no qual elas nem eram nascidas, alguém escravizou alguém.
        Mas e se os antepassados dessas pessoas não foram senhores de escravos?
        Ah…que se dane! O importante é punir!
        Muito justo, não acha?

      4. O que determina o sucesso de uma pessoa é: sua índole, sua competência, sua estabilidade emocional e seu relacionamento com o universo social. No caso dessa menina, ela não tem autocritica; pois ela pode ser a ultima bolacha de um pacote; que de tão cobiçada e quebrada ninguém quer. Aliás nem fui com o cara dela, pelo sua imagem arrogante. Felicidades menina que Deus te proteja, você não está protegendo a você mesma. Esse mundo é maluco.

      5. O negro brasileiro esquece que o ancestral dele já era escravo na África antes de ser comercializado com traficantes de escravos. Pesquisem suas raízes, estudem a respeito dos reinos africanos Axante, Kano (atual Nigéria) e Daomé (atual Costa do Marfim), dos Imbamgalas, que comercializavam com traficantes os escravos de tribos rivais que capturavam. Esses potentados foram os que mais se opuseram ao fim da escravidão, já que a comercialização de escravos era necessária para manter as estruturas de poder existentes.

        E brancos não foram escravizados também? Milhões de europeus foram escravizados por turcos (não só otomanos, mas também outras tribos como os ghaznevidas e os seljúcidas), mongóis e por sarracenos provenientes do norte da África. Eslavos eram fornecidos pelo Canato da Crimeia para servirem como escravos militares para sultões turcos. Piratas mouros tinham o costume de saquear o Mediterrâneo em busca de escravos para suas galés e para revendê-los em Argel, Tunis, Tripoli e Alexandria. Mouros ocuparam e barbarizaram a península Ibérica por séculos, só não fizeram no restante da Europa por conta de homens como Carlos Magno. Vai estudar, cria de Gramsci e Paulo Freire!!

        Pare de jogar nos outros a culpa pelo fracasso que é sua vida, enquanto meus avós trabalhavam os seus estavam no ócio e na pinga. Esse é um país fundado por portugueses e construído por imigrantes italianos e alemães, mantenha sua cabeça BAIXA, sem insolência, principalmente na frente de alguém como eu, branquinho, de olhos claros, cabelo loiro e sobrenome alemão.

      6. Homem branco que escravizava negros? Quem vendia para os brancos os coitados dos negros? Os próprios negros! Quem combateu a continuidade da escravidão dos negros? Os próprios brancos! Quem continuou o tráfico de negros, apesar da proibição dos brancos? Os próprios negros juntos com os árabes muçulmanos. Os negros e muçulmanos estão mil anos na frente dos brancos no comércio de escravos negros!! Novidade para você??

      7. Isto é um discurso de ódio, não acha? Não podemos voltar ao passado (certo?), mas podemos fazer do nosso futuro um mundo melhor. Assim, não é obtendo vantagens sobre os outros que buscaremos um mundo mais justo. Mais educação de qualidade para todos e menos ignorância.

      8. A ignorância dos homens no passado, incluindo a escravidão, não serve de desculpas para sermos ignorantes hoje, pelo contrário, devemos sempre combater ignorância com sabedoria.

      9. LEI Nº 7.716, DE 5 DE JANEIRO DE 1989.
        “Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.
        Art. 6º Recusar, negar ou impedir a inscrição ou ingresso de aluno em estabelecimento de ensino público ou privado de qualquer grau.”
        Penso que esta forma de bônus sobre a nota final do final é um meio de discriminação pelo qual alguns obtém vantagem sobre os outros. Sendo assim, os que não possuem este bônus ficam prejudicados, o que é uma forma de impedir o ingresso deles à universidade. Desse modo, não devem ser tomadas medidas judiciais para combater esta forma de discriminação, e como poderia ser feito isto?

    2. Fico feliz pela menina ter obtido sucesso e ao mesmo tempo tenho pena. Se a Casa Grande fosse o que disseram para ela, provavelmente foram os esquerdopatas, sequer teria chance de obter o galardão pelo qual lutou. Menina, suas amigas de pele branca estão em regozijo por sua vitória.

    3. A estudante é criticada quando fala de racismo e o site se fere aos afrodescentes como “pretos” e não negros. Muito complicado de entender tudo isso, quanto mais julgar.

      1. Enquanto existir branco (por que branco é branco e preto é negro?) e preto (negro), sempre haverá racismo. Somente a hora que existir apenas o ser humano, aí sim deixará de existir racismo. A unica raça que existe é a humana (não existe raça branca ou raça preta – negra).

      2. Se preto é negro, branco é o que?
        Se brasileiro preto é afrodescendente, brasileiro branco é o que?
        Difícil mesmo de entender essa história…

    4. Não vejo racismo em suas palavras, apenas uma metafora da realidade no Brasil. O seu comentário parece-me mais certo incomodo com a conquista da aluna do que zelo pela diversidade.

      1. Não me faça rir, não tem um branco na favela e nenhum negro na riqueza? Tudo é relativo. Que diversidade há em dizer que preto é pobre e branco e rico? Ou em dizer que só há essas duas cores? Se eu disser que ‘a senzala está toda na cadeia’ parecerá racismo pra você? Respondo com a mais cara-de-pau que me é possível, é apenas uma metáfora da realidade no Brasil…

      2. Demonstrar ódio racial é uma”Metáfora da realidade?!
        Então chamar preto de macaco é “Sentido figurado da realidade?
        Desde quando preconceito e supremacia tem algo a ver com a realidade?

      1. O respeito é fundamental, os alunos de escolas públicas são de fato prejudicados pelo simples fato poderem ter ou não a opção financeira de acessar escola, transporte escolar, alimentação fora de casa, aulas particulares e outros aspectos que impactam na performance do estudante.

        Acredito que ela tenha crenças e valores que devem ser respeitados acima de tudo. Ela pensa assim por que historicamente um dia ja foi assim. Trata-se de uma jovem. Em início de formação científica. Que a USP forme uma excelente médica que possa realizar muitos feitos a muitas vidas.

      1. Será sim e com certeza exercerá a profissão com sucesso, pois independente de bônus e outras coisas mais, ela conquistou seu lugar ao podium com 75% de teus próprios méritos.
        Parabéns Bruna, futura Dra.!!!

    5. Por que toda senzala quer ser casa grande? Não seria melhor transformar a senzala e esquecer a casa grande? Posso fazer da senzala minha casa grande, sem querer tecer um discurso de ódio. Sempre morei em senzala, nunca fui de casa grande. Minha vida toda estudei em escola pública e não me acho branco ou negro. Sei que sou ser humano.

    6. Segundo diversos comentários que li, esta jovem é beneficiária de cota. Nada contra, desde que se use a verdade para mostrar os fatos como eles são. Agora o que eu penso, e muitos que devem pensar como eu acreditam, é que é vergonhoso os esquerdo/Lulo/petistas se valerem de uma situação que deveria ser corriqueira, para voltarem à velha estratégia de tentarem, com argumentos já bem manjados, de colocarem uns contra outros. Aqui no caso, o que fica patente é o velho preconceito de cor. Se quiserem agir com a verdade, que subtraiam da nota final dela, os 15% que a ajudaram a galgar o primeiro lugar, e reclassifiquem-na. Em seguida mostrem as notas dos que, sem nenhuma ajuda, ficaram na frente dela, após esta reclassificação. Então a partir dai deem os nomes aos bois. Agora esta jovem tem la os seus méritos, e pela sua história de vida, devem ser respeitados. Como sugestão, poderiam até divulgar duas classificações: A do que foi primeiro lugar, sem ajuda das cotas, e a do que foi primeiro lugar, com o auxílio da cota. A partir dai, não estou afirmando, mas é bem possível que possa haver modificações na classificação, em relação a cor da pele. Ou seria ela a única negra que foi aprovada nesta Universidade? O que estes oportunistas esquerdo/Lulo/petistas necessitam com urgência, e começarem a falar a verdade para o seu público alvo. Pararem com esta cantilena de Casa grande e Senzala, querendo incutir na cabeça dos jovens que os donos de escravos eram todos sádicos, pois já está provado que não eram. E também precisam começar a contar que muitos negros que aqui chegaram como escravos, compraram as suas cartas de alforria, e depois se tornaram mercadores de escravos. O próprio Zumbi tinha os seus escravos, e isto esta nos livros. Que esta jovem não venha a se tornar mais uma deslumbrada, deixando que o sucesso suba-lhe à cabeça, e comesse a se achar a cereja do bolo. Que ela seja incentivada a continuar os seus estudos, com afinco, e que venha a dar muitas alegrias aos seus familiares. E comesse a aprender a separar o joio do trigo, por suas próprias pesquisas, sem se deixar levar por informações levianas, vindas de fontes não confiáveis. Busque sempre a verdade, que a verdade vos libertar. Qualquer duvida me ligue.

  2. A declaração desta garota não pode ser mais racista. Ela própria se desmerece ao se auto denominar de “senzala”.
    Sou contra cotas, pois considero racista, ao dar direito a cotas por não ser branco está passando a mensagem que não passam por capacidade intelectual e sim por um “empurrão” da “casa grande”.

    1. A cota pra negro existe e faz sentido, tendo em vista q mais de 80% da população carente é negra ou parda, mas para se evitar a conotação racista, acho que apenas cota de renda já abrange essa população e é menos mal vista pela sociedade, logo, mais eficaz e coerente! Sobre a publicação dessa mulher, acho que a arrogância dela ainda vai causar alguns problemas na carreira. Sorte dela é que em medicina o setor é sempre carente e geralmente os profissionais são empregados… gostaria de ver ela na engenharia, passando em primeiro na POLI e não conseguindo emprego porque a conduta dela nas entrevistas não agrada hahaha.

      1. Em reportagem na Globo ela contou que estudava no Colégio , fazia cursinho e estuda mais 3 horas em casa , logo ela não foi despreparada com a rede pública deixa

      2. Rita Finseca > Um dia esta esquerda/Lulo/petista estupida, há de entender que não é somente os negros que não conseguem frequentar bons colégios. Milhões de brancos também não. E eu que penso, antes de sair criticando, costumo analisar o por que de certas coisas serem desta forma. E uma das conclusões a que cheguei, foi: “O Sol nasce para todos , mas a sombra, só para os que se preparam, e portanto merecem” Pense.

    2. no Brasil, desde que me entendo, sempre houve uma “cota” invisível, dos que tiveram acesso a boas escolas particulares, bons livros, referencias familiares, visibilidades sociais, possibilidade de boas viagens de ferias, não preciso aqui nem deixar claro, a qual grupo étnico pertencem estes “cotistas” , o que precisamos entender e aceitar, que estamos no seculo XXI, apesar de que, na minha opinião, as senzalas permanecem aos olhos vistos, sejam nas favelas, na desconfiança da policia nas ruas das cidades, ou da “tiazinha” que se agarra na bolsa, quando cruza com vc nas calcadas das cidades, hj aposentado depois de 36 anos de exercer a profissão de professor universitário, me tornei um ser comum, idoso (tenho 67 anos), negro e aposentado, estou tendo de (re) aprender muitas coisas, ate me acostumar em morar em uma cobertura e me acostumar com a “cara” amarrada dos moradores, que alugam, os apartamentos nos andares inferiores, mas enfim fazer o que?

  3. Poderia ficar calada bem na dela mas infelizmente ela deu essa pizada feia e agora guente as consequencias vamos ver concluir o curso 6 anos de muito estudo la na vai ter empurrazinho p ela so se for p ferrar e sempre assim.. mas deus ilumine a mente e a alma dessa menina de humildade esses 6 anos vai correr muita agua debaixo da ponte DEUS AJUDE ELA

  4. Vai ser uma nova Geisi Arruda.Podem escrever.Ao usar de maneira leviana,sua “humilde inteligência”,apoiada pela cota racial,fez apologia ao racismo pelo povo de pele branca.
    E tudo fica como está.Fosse um branco fazer esse tipo de comentário, já estaria sendo caçado pelos Direitos Humanos.
    Tomara, que ao se formar, não deixe de fazer o bem,ao povo da casa grande.
    Muito infeliz.

  5. É com imensa tristeza que leio uma noticia dessa. Não vejo com bons olhos qualquer vantagem concedida em razão da cor da pele. Pois somos todos iguais seres humanos. Deveria existir a condição de igualdade para todos. Um bónus de 25% significa uma vantagem considerável. Talvez um dia todos jovens concorram de forma igualitária. Tomara Deus.

  6. Não vi nada de mais no critério usado pela USP. Tirando os 5% pela cor, nada mais justo do que pontuar a mais alunos da rede pública, pois é notório que eles têm mt menos condições de se prepararem para uma prova tão difícil! E até o percentual de negro não é tanto! Tem lugares que quase metade das vagas é pra negros! Isso sim é absurdo! Se ela não tivesse ido tão bem na prova nem com ajuda ficaria em primeiro!

  7. Não tinha necessidade de dizer isto. Humildade não faz parte de seu currículo . E depois, os brancos são racistas….tá bom. Não fosse a “mãozinha” das cotas da “casa grande” seria assim? Não deveria existir cotas, todos disputariam igualmente as vagas.

  8. A estudante não cometeu crime de ódio racial. O que ela revelou foi a mágoa que muitas pessoas discriminadas guardam pela desvalorizao como sao tratados com racismo a bida inteira. As pessoas precisam saber lidar com este tipo de preconceito, se colocarem acima da mesquinharia de muitos que não os respeitam.

  9. Só alguém de má fé para dizer que a medicina da USP é antro de esquerdistas, Meu marido se formou em medicina e não tem um colega de esquerda. Certamente ela vai sofrer racismo, Ele é formado há vários anos e, sendo negro, ainda é menosprezado em seminários médicos, Eu o acompanho, às vezes e, sendo loira, recebo a atenção de quem estaciona o nosso carro ou faz o credenciamento. Chega a ser ridículo. Ah…e quem teve uma ajudinha foi quem estudou em escola particular, isso sim, Nossos filhos estudam em uma boa escola e considero obrigação uma boa nota. Se eles estudassem em escolas públicas teriam que se esforçar muito mais.

    1. Isso é um mito. Antigamente, há pouco menos de 30 anos atrás, ninguém estudava em escola particular… as escolas públicas eram boas pra formar juristas, médicos e engenheiros…eu mesma estudei em uma. Hoje em dia é que escola pública é um lixo.

  10. Tomara que ela mude de atitude e termine o curso com dignidade e exercendo o que a profissão prega, a ajuda e cuidado ao ser humano, pare com vitimismo e mostre que tem capacidade e que não foram os 25% que fizeram a diferença.

    1. Já dizia o velho ditado…”Quem nunca comeu melado,quando come se lambuza”.
      ela pode sair da senzala… mas será que a senzala sai dela? Ela é jovem, vamos torcer para que sim.

  11. Gente, essa é só minha opinião a respeito da matéria.
    1- Ela utilizou uma metáfora e não atacou ninguém. Sou branca e não me senti atacada, justamente por que ela fala dos preconceituosos.
    2- Eu e você que é branco(a), nunca (pelo menos nesta vida, para quem acredita em reencarnação)sentiremos na pele o que é o preconceito racial. Não sentimos a dimensão do que isso é capaz de causar em quem sofre. Sempre quando vejo um mimimi na internet sobre preconceito racial, pergunto ao meu namorado, que é negro, se ele se sente atacado com a situação. Essa é a minha maneira de tentar me colocar no lugar do outro. Já sofri preconceitos de outras ordens, mas esse não!
    3- O que a Bruna disse foi a maneira que ela encontrou de se orgulhar de si mesma. E ela tem motivos para isso!
    4- Não vejo desmérito algum no fato de ter sido acrescido qualquer percentual à sua nota final. São as regras e são para todos que preencham os requisitos. O que não é para qualquer um, é a força de vontade e a garra dessa menina para atingir seu objetivo. O cursinho dos estudantes de medicina está lá. Ela foi atrás, acreditou, fez sua parte e conseguiu. Parabéns Bruna!

  12. Prefiro pensar que o comentário foi feito por impulso e falta de maturidade. Quem nunca falou algo e depois se arrependeu? Mas, concordo que os maiores prejudicados com essa fala e tantas outras , que lemos nas mídias sociais ,foram os negros do Brasil , que continuam na senzala. Muito tem se feito para que o preconceito no Brasil efetivamente acabe…. e não é através desse tipo de discurso que isso vai acontecer, pelo contrário …..que mudemos o discurso! Mesmo assim , parabéns pela aprovação !

  13. A casa Graça grande surta sim!!!! E dar cotas aos “menos favorecidos” é tentar de alguma forma nivelar o que a socieade fez com os negos na época da escravidão. Sim, até hoje os negros sofrem as consequências dos tempos da escravidão! Saíram atras dos brancos e agora temos que igualar isso de alguma forma. Pena que nem todos entedam…

    1. Mas vc está desatualizado! Houve muito mais tráfico de escravos brancos pelos africanos do que de negros pelos europeus! Mais de 1 milhão de europeus foram escravizados por traficantes norte-africanos de escravos entre 1530 e 1780, uma época marcada por abundante pirataria costeira no Mediterrâneo e no Atlântico. A informação é do historiador americano Robert Davis. Comece pelo livro “Christian Slaves, Muslim Masters: White Slavery in the Mediterranean, the Barbary Coast, and Italy, 1500-1800” (escravos cristãos, senhores muçulmanos: a escravidão branca no Mediterrâneo, na costa Berbere e na Itália). Se vc se interessar, também existem outros á disposição. O fato é que os brancos não ficam chorando pitanga… seguiram seu caminho. Os negros deveriam fazer o mesmo.

  14. A menina é competente, e com certeza já passou ou passa por situações desconfortantes neste entorno. Foi um pouco ingênua na declaração aberta que externou um conflito na Educação Brasileira. Mas pessoas vampiristicas adoram fantasmagóricas tudo… Pois é só uma menina dando um porra! Só quem é negro ou assume isso… Sabe disso … Ou não tiveram a leitura dá ” Casa Grande e Senzala… Ou As veias abertas da america latina, ou NFB… Fico feliz por ela pq mesmo optando fazer área biomédica… Seria uma excelente aluna de sociologia, filosofia ou história.
    Invejosos ou quase isso…vão estudar porra!!

  15. Não devemos nunca glorificar quem chegou ao topo recebendo ajuda para empurrar os outros para baixo. Quantos estudantes que se prepararam e obtiveram melhor nota e foram passadas para traz por causa desses 25℅ acrescentados à nota dessa criatura. Imagine se fosse o contrário quanto de “mimimi” não estaria acontecendo. É para ficar indignados mesmo, chegou lá, mas não foi por méritos.

    1. Acredito que isto seja uma forma de discriminação, baseado na nossa Constituição, o que deve ser combatido com as providências cabíveis dentro da lei.

      1. Isto que digo é o bônus como forma de ingresso, não é seu comentário, que fique bem claro, para evitar ambiguidade.

      2. Acredito que a forma como está estabelecida o ingresso, com um bônus para certas pessoas que se enquadram em certos perfis, seja uma forma de discriminação, baseado na nossa Constituição, o que deve ser combatido com as providências cabíveis dentro da lei. (Texto corrigido)

      3. “Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

        I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;

        II – garantir o desenvolvimento nacional;

        III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;

        IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.”

  16. MAIS UM CASO NÍTIDO DA SEPARAÇÃO DE CLASSES PRODUZIDA POR UM GOVERNO QUE SEMPRE DESMERECEU O ESTUDO, DESVALORIZOU A INTEGRAÇÃO E PIOR, SEMEOU O ÓDIO ATRAVÉS DE UM DISCURSO SEPARATISTA QUE PRODUZIU DOIS LADOS: A ELITE BRANCA E OS POBRES; OS MORTADELAS E OS COXINHAS; OS GOLPISTAS E OS CORRETOS… TRISTE, PARA ALGUÉM QUE ESCOLHEU UMA PROFISSÃO ONDE NÃO PODERÁ FAZER QUALQUER TIPO DE DISTINÇÃO NA HORA DE APLICAR SEUS CONHECIMENTOS E PROCEDIMENTOS MÉDICOS!!

  17. Ser médica com essa cabeça …..Vai ser trash
    Coitados dos pacientes, se ela realmente se tornar esse profissional. Medicina é amor, não tem lugar para os sentimentos que ela demonstra!!! Triste!

    1. Ela usou as regras. Não vejo nada de errado. Façam como ela, estudem! E se adaptem as suas regras. Medicina é o curso mais concorrido no Brasil. Não é pra todo mundo, nem para aqueles que tentam comprar vagas pelo ENEM. Esqueçam esse papo de racismo, quem é, e quem não é, isto é Brasil, racismo tá na pele, tá na cara da maioria da população que se acha branca, mesmo não sabendo sua origem. Babacas recalcados, estudem!

  18. O que determina o sucesso de uma pessoa é: sua índole, sua competência, sua estabilidade emocional e seu relacionamento com o universo social. No caso dessa menina, ela não tem autocritica; pois ela pode ser a ultima bolacha de um pacote; que de tão cobiçada e quebrada ninguém quer. Aliás nem fui com o cara dela, pelo sua imagem arrogante. Felicidades menina que Deus te proteja, você não está protegendo a você mesma. Esse mundo é maluco.

  19. O mais engraçado é ela se achar negra, essa PARDA, mestiça com brancos e índios, seria ridicularizada pelos negros de verdade lá da África. O conceito de ‘negrituidade/branquitude’ desse pessoal de esquerda é bem seletivo e a síntese do duplipensar, depende da conveniência do momento. Se o lance for posar de minoria oprimida, então PM’s pardos do nada tornam-se ‘brancos opressores’ e ‘assassinos da juventude negra’, ou então, um grupo de formandos de medicina, dentre eles muitos pardos, tornam-se todos ‘brancos privilegiados’. Mas quando o que interessa é posar de maioria, daí então qualquer pardo passa a ser considerado um africano Zulu da melhor qualidade.

    No massacre de Ruanda, extremistas Hutus exterminaram dezenas de milhares da etnia Tutsi, tão negros e africanos quanto eles, dirá então o que não fariam com essa PARDA, mestiça com brancos e índios, que se acha a black power só por causa da cor de saco de pão. No Zimbábue de Robert Mugabe, país onde apenas 100% negros são aceitos, essa parda seria morta rapidinho. Quando vejo essas negras de cabelo tóim armado usando aquelas roupas ridículas, eu sempre dou risada. Se sentem as ‘empoderadas’ mas no fundo só estão fazendo gente como eu dar risada. Eu e minha esposa sempre tiramos sarro quando vemos. Negros quando querem se afirmar beiram ao ridículo.

  20. 1) Que ela tripudiou ninguém pode negar;
    2) Que ela “NÃO” tem essa “mente brilhante” que quis passar em ter, também aconteceu. Afinal, 25% é uma bela de uma ajuda;
    3) Que ela perdeu uma ótima oportunidade de fazer propaganda a favor do projeto do governo petista, também é certo. Melhor ter ficado calada;
    4) Que eu, sendo branco, souber que ela é a medica que irá me atender, eu cancelarei a consulta, também é certo. Muita raiva e frustração para uma pessoa só; Sei lá o que ela fará sabendo que eu sou coxinha e ela é CAMARÃO.

  21. Vai ser burra assim no inferno.
    Primeiro eu gostaria de saber se ela está ou esteve na senzala?
    Segundo: Vc já pensou o que pode fazer uma “médica” com essa cabeça ao se deparar com um paciente branco?
    Terceiro: A USP foi uma ótima universidade quando preparava e admitia alunos que realmente tinham um diferencial potencial.
    É por estar aprovando gente como essa menina, que hj seis em cada dez médicos formados no Estado de São Paulo estão entrando no mercado de trabalho sem conhecimentos básicos de situações que envolvem o cuidado do paciente. Por exemplo: 80% não souberam interpretar uma radiografia e erraram o tratamento de paciente idoso.
    Essa menina não tem perfil para ser médica. Deveria ser no máximo o que ela é mesmo: ativista.

  22. enquanto os cães ladram a caravana passa…60/100 dos alunos que se formam em medicina são inaptos conforme CREMESP, a grande maioria vão para beber e beber e beber e usar drogas lá isso são THE BEST portanto, é melhor ouvir asneiras que ser surdo.

  23. LEI Nº 7.716, DE 5 DE JANEIRO DE 1989.
    “Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.
    Art. 6º Recusar, negar ou impedir a inscrição ou ingresso de aluno em estabelecimento de ensino público ou privado de qualquer grau.”
    Penso que esta forma de bônus sobre a nota final do final é um meio de discriminação pelo qual alguns obtém vantagem sobre os outros. Sendo assim, os que não possuem este bônus ficam prejudicados, o que é uma forma de impedir o acesso deles à universidade. Desse modo, não devem ser tomadas medidas judiciais para combater esta forma de discriminação, e como poderia ser feito isto?

Deixe uma resposta