Sorteio no STF é visto com extrema desconfiança pela força-tarefa da Lava Jato

Ministros do Supremo estão desconfiados do sistema de sorteio de processos e cogitam a abertura de uma sindicância interna para verificar probidade do direcionamento dos casos.

A informação é d’O Antagonista que conversou com integrantes da força-tarefa da Lava Jato. Segundo o site  há uma clima de muita preocupação com a decisão de Cármen Lúcia de sortear a relatoria do caso entre os ministros da segunda turma do Supremo.

“É pior que roleta russa. Se o caso cair nas mãos de Lewandowski, Gilmar ou Toffoli, será a morte da Lava Jato. Se cair com Celso ou Fachin, a investigação terá alguma chance.”

Para os procuradores, o ideal é que Fachin peça realmente a transferência da primeira para a segunda turma, herdando automaticamente a relatoria de Teori Zavascki.

Anúncios

3 comentários sobre “Sorteio no STF é visto com extrema desconfiança pela força-tarefa da Lava Jato

  1. Lewandowski, Gilmar ou Toffoli.
    Esses três ministros deveriam PARA O BEM DA NAÇÃO fazer o que fez o ministro Joaquim Barbosa, sair fora e deixar que pessoas do bem assumam seus lugares, os Brasileiros não confiam neles, não adianta eles insistirem em ficar, toda vez que houver casos polêmicos como a Lava Jato os Brasileiros vão repudiar suas participações, isso está ficando vergonhoso para eles que estudaram tanto para chegar lá e quando chegaram fizeram tudo errado.
    POR FAVOR SENHORES MINISTROS CITADOS, ANALISEM A POSSIBILIDADE DE SAÍREM E DEIXEM O BRASIL CAMINHAR SOSSEGADO.

  2. O povo brasileiro não pode se calar. Temos que exigir o correto, o Brasil não pode sofrer novamente com atitudes de pessoas que não fazem o que deveriam fazer “JUSTIÇA”

Deixe uma resposta