Mudanças no programa “Mais Médicos”: menos Cuba

O governo Temer começa a mudar o perfil do programa Mais Médicos, retirando a carga ideológica que marcou sua improvisada criação. Sabidamente o petismo fingiu atender reivindicações da população por saúde, enquanto atendia interesses de Cuba.

O Ministério da Saúde pretende substituir 4 mil médicos cubanos por brasileiros nos próximos três anos. Reduzindo a participação dos cubanos no programa, atualmente em 62,6%, elevando a brasileira para 40%.

E a mudança está em curso, no mais recente edital, os brasileiros preencheram 99% dos 1.390 postos ofertados em 642 municípios.

O jornal Estadão em editorial foi incisivo:

“É uma medida salutar. Não se trata de preconceito em relação aos cubanos, como alardeiam os petistas diante das críticas ao predomínio daqueles médicos no programa. Trata-se de retirar do Mais Médicos seu caráter ideológico, que transformou o programa em uma peça de propaganda não apenas da administração petista, mas das maravilhas da ‘solidariedade socialista’ – de que Cuba é, para essa gente, o símbolo mais bem acabado”.

Advertisements
Anúncios

3 comentários sobre “Mudanças no programa “Mais Médicos”: menos Cuba

  1. Temer fica no planalto .Ali Nao tem pobreza .Ele millonario tem como pagar saude e atendimento caro.mais medicos cubanos dixan huella no coraçao do povo brasileiro em tuda a geografía do gigante sudamericano.profesionalismo.etica médica .solidaridade parceria infinita nos caracteriza em nossa práctica diaria.mais el povo precisa de nois e confía em nois.no e ideología .No e petismo ni comunismo e cristianismo com amor entre dos naçoes .

Deixe uma resposta