Caiu a farsa! “Aquarius” ficou fora da corrida pelo Oscar porque distribuidor nem quis inscrevê-lo

Todo ano é a mesma história. Sai a lista dos indicados ao Oscar e surgem os “especialistas” dizendo quais filmes deveriam estar lá, mas não estão. Hoje não foi diferente.

O filme brasileiro “Aquarius”, aquele cujo diretor e atores fizeram papelão em Cannes no ano passado denunciando o “golpe”, não está no páreo, sendo que até o improvável “Esquadrão Suicida” foi indicado. Diante disso, um crítico da rede de TV americana CBS alegou que a Academia de Hollywood ignorou o trabalho de várias atrizes, “incluindo Amy Adams, Annette Benning, Sandra Huller e Sonia Braga”, sendo que esta última é a protagonista do filme brasileiro.

Nos últimos dias, críticos de cinema fizeram lobby para seus filmes, atores e roteiristas favoritos. Um crítico do Los Angeles Times, por exemplo, sugeriu que considerassem a interpretação de Sonia Braga em “Aquarius”, dirigido por Kleber Mendonça Filho. Dois críticos do The New York Times disseram que Braga e Mendonça Filho deveriam ser indicados respectivamente nas categorias de melhor atriz, diretor e roteiro original.

No entanto, tudo isso foi em vão. “Aquarius” era totalmente inelegível para o Oscar, uma vez que a distribuidora americana, a Vitagraph Films, não inscreveu o filme oficialmente, disse Natalie Kojen, uma das diretoras de assessoria de imprensa da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Anúncios

3 comentários sobre “Caiu a farsa! “Aquarius” ficou fora da corrida pelo Oscar porque distribuidor nem quis inscrevê-lo

  1. Bom…, eu sei de o seguinte: a “arte” realista é chata, não causa estranhamento nenhum, nunca é de vanguarda, jamais brilhante ou sui generis.

    E se for petista, se torna totalmente datada, nunca um clássico. É semelhante a “pichação”.

    Além de ser «pezaço no saco» de se assistir, se for, nesse caso, um filme. Coitado do Brasil. E coitado bem maior de PT e seus satélites tal qual esse Kleber Mendonça Filho com seu filminho chatérrimo “Aquarius”. O Brasil ainda está lá longe de um Ingmar Bergman, da Suécia, por exemplo. Um eterno clássico!

    Fiquem atentos e de OlhOs bem abertos. “As ideias se estilhaçam frente à realidade”.

    JL

Deixe uma resposta