Quadro de ‘Tá no ar’ fala de “privilégio branco” e estimula ódio racial

O programa ‘Tá no ar’, liderado pelo humorista e militante Marcelo Adnet, voltou a criar polêmica ao deixar vazar trecho de uma paródia dos comerciais de banco com uma crítica sobre “privilégio de pessoas brancas”. O programa volta ao ar neste mês de janeiro.

No vídeo, os personagens aparecem sendo servidos por pessoas negras em diversas situações e dizem coisas como “tive acesso às melhores universidades” e “sempre ganho o melhor salário”. O vídeo termina com um logo escrito “Branco no Brasil” e com o slogan “há mais de 500 anos levando vantagem”.

Em um dos últimos países do mundo a se abolir a escravidão dos negros, onde ainda há inúmeros casos de racismo, o humorístico da TV Globo reabre feridas e instiga o ódio racial, o segregacionismo e o divisionismo coletivista. Falacioso, o vídeo busca insuflar uma animosidade entre negros e brancos, algo diverso do que é o combate ao racismo e ao ódio racial.

Adnet, que além de humorista também é roteirista da atração, se notabilizou por apoiar candidatos de extrema-esquerda em pleitos eleitorais, mais notadamente Marcelo Freixo, deputado fluminense. Freixo é do PSOL, partido ultra-esquerdista que controla e financia movimento negros favoráveis a discriminação racial.

O vereador paulistano Fernando Holiday, reconhecido por seu combate ao racismo, postou em sua página no Facebook a foto da equipe do ‘Tá no ar’, apontando que não há negros no grupo, o que taxou de “incoerência” e “abjeta forma de humor”.

Anúncios

Um comentário sobre “Quadro de ‘Tá no ar’ fala de “privilégio branco” e estimula ódio racial

Deixe uma resposta