“Boulos declarou ter sido vítima de uma ‘prisão política’. Não é o que está escrito no boletim policial”, disse o Estadão

O Estadão, em um daqueles raros momentos de lucidez e honestidade, publicou um editorial especial sobre a prisão de Guilherme Boulos, líder do grupo terrorista MTST. Confira os dois parágrafos abaixo:

“Dias atrás, o líder do MTST fez ao mesmo tempo uma promessa e uma ameaça: ‘Haverá um agravamento da situação e vamos nos aproximar de um estado de convulsão social’. Na terça-feira, começou a cumprir o que dissera (…).

Boulos declarou ter sido vítima de uma ‘prisão política’. Não é o que está escrito no boletim policial. Ele violava a lei e promovia a desordem. Mas é assim que ele entende ser a política. Para ele, ‘convulsão social’ deve ser sinônimo de progresso.”

É a mais pura verdade.

Anúncios

Deixe uma resposta