Juíza do RS arma o maior rebu após sua decisão em favor da extrema-esquerda ser criticada

Comprovando o autoritarismo típico da extrema-esquerda – que não tolera críticas, como se vê na Venezuela, por exemplo -, uma juíza do Rio Grande do Sul não soube lidar com as críticas legítimas feitas pelo JornaLivre.

Vamos rever a matéria que a incomodou muito, cujo título é: “Elite jurídica de Porto Alegre em guerra contra a responsabilidade fiscal: juíza impede demissões em órgãos públicos”. Leia a matéria:

A juíza Valdete Souto Severo, da 18ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, proibiu demissões em cinco fundações, sob pena de multa diária de R$ 10.000 por dia de descumprimento em relação a cada empregado demitido.

Um projeto de lei que prevê o fim das atividades de oito fundações havia sido aprovado em 21 de dezembro, na Assembleia Legislativa em meio ao processo de votação de medidas de ajustes financeiros propostas pelo governo do Rio Grande do Sul.

A juíza, que seria adepta das ideias de extrema-esquerda, acolheu pedidos liminares do Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisa e de Fundações Estaduais do Rio Grande do Sul (Semapi), e impediu as demissões de servidores da Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), Fundação Zoobotânica, Fundação de Economia e Estatística (FEE), Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec) e Metroplan.

Não é a toa que o Rio Grande do Sul passa por uma situação financeira complicada, com uma elite jurídica e sindicatos que pisam no povo. Atrapalhar as medidas de ajuste fiscal necessárias é agir contra o pagador de impostos.

Como se nota, ela não sofreu qualquer tipo de agressão pessoal, mas não é dessa forma que ela parece tratar a crítica em uma entrevista ao Sul21. Alguns momentos:

  • “Já sofri pressão ou incentivo para alterar decisões de forma mais interna, corporativa, digamos assim, mas nunca ataques pessoais como desta vez.”
  • ” É machismo puro, é uma vontade de desconstituir o interlocutor sem dialogar. O sentimento é de revolta, fiquei muito indignada com o que aconteceu.”

Há quem diga que a juíza teria reclamado de conteúdo exposto por alguns internautas, e não do texto em si, mas sua própria crítica é vaga. Cabe então à juíza ser mais clara e dizer exatamente do que ela reclama e qual conteúdo ela não gostaria que fosse publicado.

O JornaLivre designou um analista para encontrar qualquer instância de “machismo” ou “ataques pessoais” no conteúdo anteriormente divulgado. Mesmo assim, Valdete se declara “extremamente ofendida” com uma matéria que tão somente fez uma crítica legítima à sua decisão judicial.

Aliados de Valdete estão utilizando a tática já conhecida de “emissões de nota de repúdio” – como expostas muito bem nas obras de Gene Sharp – a partir de métodos como advocacy. Por exemplo, a AMATRA emitiu uma nota de repúdio, com as mesmas acusações baseadas em um conteúdo inexistente na matéria.

Próximos posts mostrarão novas contradições da juíza.

Foto da matéria: Maia Rubim/Sul21

Anúncios

4 comentários sobre “Juíza do RS arma o maior rebu após sua decisão em favor da extrema-esquerda ser criticada

  1. TEM COMO REPASSAR ESSA MENSAGEM PRA ELA?

    “ESCUTA AQUI SUA VAGABUNDA! É VC QUE TEM SEU SALÁRIO PARCELADO? É VC QUE TEM QUE EQUILIBRAR AS CONTAS DO MUNICÍPIO NO FIM DO MÊS? SE A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA JÁ VOTOU QUE VC ACHA QUE É PA ACHAR QUE TEM PODER SUFICIENTE PARA DIZER QUE NÃO!
    ENTÃO SUA VACA…. CALA A BOCA, POIS A PARTIR DE AGORA, VOU ENVOCAR O ARTIGO 1 DA CONSTITUIÇÃO, PARAGRAFO ÚNICO;
    “TODO! (ENTENDE TODO), O PODER EMANA DO POVO”, E TÃO SOMENTE A ELE CABE A DECISÃO, QUE NESTE CASO FOI FEITO EM ASSEMBLEIA… TU NÃO TEM QUE DEFERIR PORRA NENHUMA… SINCERAMENTE… NEM SEI POR QUE ESTOU TE DANDO IBOPE! COMUNISTA SAFADA!

Deixe uma resposta