Maduro também adota narrativa de que está sendo vítima de “golpe parlamentar”

De acordo com a Agência Sputnik, o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou a oposição de tentar derrubar o “poder legítimo” no país. Na segunda-feira (9), a Assembleia Nacional da República Bolivariana anunciou o abandono de cargo de Maduro por não cumprir suas obrigações. A maioria dos deputados (106) votou a favor da decisão.

“Como presidente, peço que as autoridades governamentais não deixem impunes as violações da Constituição e desrespeito à ordem legítima, ontem, um manifesto golpista foi adotado pela Assembleia Nacional”, declarou Maduro durante transmissão ao vivo da televisão estatal.

Esse é exatamente o mesmo discurso de Dilma Rousseff, no Brasil, ou mesmo de Cristina Kirchner na Argentina. Inclusive, quando a extrema-esquerda corre risco de perder o poder por vias legais, ela sempre acusa os outros de serem golpistas.

A verdade é que Maduro é um ditador que tem cometido fraudes recorrentes, isso sem mencionar um número elevadíssimo de crimes contra a humanidade, o tipo de coisa que a ONU tentaria evitar se também não fosse uma instituição ideologicamente alinhada.

Anúncios

Deixe uma resposta