Mesmo com monopólio postal e isenção de impostos, Correios têm novo prejuízo de R$ 2 bilhões

Mesmo com o monopólio dos serviços postais, instituído pela ditadura militar, e isenção se impostos, os Correios, uma das estatais mais ineficientes e odiadas, conseguiu a proeza de fechar o ano de 2016 com prejuízo de R$ 2 bilhões, praticamente igual o do ano anterior.

Para conter o rombo, os Correios, que tem 117 mil funcionários, obtiveram autorização para a abertura de um programa de demissões, que tem como meta atingir entre 6 e 8 mil demissões voluntárias, gerando uma economia anual entre R$ 850 milhões e R$ 1 bilhão.

O público-alvo são os empregados com mais de 55 anos e tempo de serviço suficiente para se aposentar.  Quem aderir ao programa receberá por dez anos um valor calculado com base na média salarial dos últimos cinco anos e no tempo de serviço.

Os Correios também aumentarão os preços das tarifas postais em fevereiro ou março, provavelmente em 5,83%. Porque fazer o cidadão pagar duas vezes por um serviço péssimo não é o suficiente, tem que aumentar as tarifas.

Anúncios

2 comentários sobre “Mesmo com monopólio postal e isenção de impostos, Correios têm novo prejuízo de R$ 2 bilhões

  1. Um dos piores serviços do Brasil, aliás , tudo que é do governo é ruim. Depois que acabaram com a bendita ditadura todos os serviços do estado e governo federal ficaram péssimos e porta arreganhada pra corrupção

Deixe uma resposta