Cármen Lúcia apresenta argumento autoritário para defender voto obrigatório

A ministra Cármen Lúcia segue em seu trajeto de intervir em todos os aspectos da vida nacional. É a rainha brasileira.

Ela comentou o alto número de abstenção e de votos brancos e nulos nas últimas eleições e as novas discussões sobre o voto facultativo, que dá liberdade ao eleitor de escolher de vai ou não votar.

Mas a argumentação de Cármen Lúcia é esta miséria: “Sou favorável ao voto obrigatório até que a educação no Brasil garanta que todo mundo tenha suficiente informação para poder se posicionar com liberdade absoluta”.

Não faz sentido. Se o número de pessoas que está votando em branco ou anulando seus votos é tão alto, é sinal de que elas já não estão dispostas a sair de casa para votar. Dizer que isso ocorre por “falta de informação” chega a ser um desrespeito com o povo. No geral, vemos uma medida autoritária (o voto obrigatório) defendida por argumentos ruins.

Anúncios

6 comentários sobre “Cármen Lúcia apresenta argumento autoritário para defender voto obrigatório

  1. Infelizmente temos que conviver e respeitar, até por força da democracia com opiniões absolutamente fora de eixo como essa da min. Carmen Lucia, quando se esperava dela, uma resposta totalmente contrária.

  2. Se estamos em um país democrático.porque o voto é obrigatório. No meu ver o povo e muito bem esclarecido o problema é que ele se deixar enganar pela troca do voto pois esta passando necessidade pela falta de um salário mínimo e injusto o seu salário ministra e justo pois tira o direito do eleito votar ou não em um ladrão que vai nos roubar durante quatro anos e depois ser solto e sair rindo de todos os eleitores e ser democrático não é ser idiota.

  3. Pelo parecer da Ministra Carmem Lucia, devemos entender que, o brasileiro vai demorar muitos e muitos anos para consegue o poder do voto facultativo. O primeiro motivo é a péssima educação existente, o segundo motivo , este o mais nefasto, o pouco caso com a melhoria da educação por este governo de quem ela faz parte. Não há interesse que o brasileiro tenha uma melhor educação porque está na raiz da ignorância a permanência deste tipo de governo corrupto em todas as áreas .

  4. Com o behaviorismo comendo solto nas escolas, dificilmente esse dia chegará. Talvez ela pense em pacificar a questão pelo método fabiano (cansaço).

  5. Dou razão à Ministra. Aqueles mais esclarecidos votam de acordo com a consciência ou não votam porque não tem candidatos viáveis. Os burros votam em quem manda. Lembram – encantador de cães, encantador de gatos e encantador de burros?

  6. Eu estou entre os 50 milhões que não votam e não elegem mais, como protesto pelo uso de urnas eletrônicas nas quais não se tem confiança nenhuma e pela horrível qualidade dos candidatos que os partidos apresentam, mas não discordo totalmente da ministra, se é que ela disse isso, não sei, não ouvi, mas se o voto fosse facultativo, do jeito desleixado que se porta a enorme maioria, ficariam babando nas fronhas em vez de ir cumprir com a sua obrigação cidadã, e com este ato estúpido, se o país já está abandonado ao crime organizado, estaria ainda mais. Para mim, o mais correto e seguro é o voto manual como obrigatório e o único oficial.

Deixe uma resposta para Augusto Cancelar resposta