Ministra do STJ que negou habeas corpus a Palocci deu sentença lacradora e humilhante

A ministra do STJ, Laurita Vaz, a mesma que negou habeas corpus a Antonio Palocci deu uma bela lacrada nos juristas militantes de extrema-esquerda.

O conteúdo do despacho que ela fez é um verdadeiro tapa na cara daqueles que criticam prisões cautelares e as ações do Judiciário que envolvem ícones de esquerda investigados por corrupção. Veja:

“Se, de um lado, a segregação cautelar é uma medida extrema, que deve ser invocada com parcimônia, de outro lado, a sociedade espera que o poder público, notadamente o Judiciário, adote medidas firmes e proporcionais contra condutas criminosas que atentem seriamente contra a estrutura do Estado e suas bases de estabilidade.”

“Ao meu sentir, em exame meramente prelibatório, as medidas cautelares impostas ao ora paciente se mostram absolutamente razoáveis e proporcionais.”

Para arrematar, a ministra referenciou o acórdão do TRF4 que negou outro pedido de liberdade do ex-ministro: “A medida, além de prevenir o envolvimento do investigado em outros esquemas criminosos, também terá o salutar efeito de impedir ou dificultar novas condutas de ocultação e dissimulação do produto do crime, já que este ainda não foi integralmente rastreado e recuperado.”

Com contribuição do Antagonista.

Anúncios

6 comentários sobre “Ministra do STJ que negou habeas corpus a Palocci deu sentença lacradora e humilhante

  1. O que se ve na verdade, eh uma verdadeira conspiracao gerada pela esquerda para desestabilizar a estrutura do estado e promover a decadencia do poder publico.
    Ao meu ver a militancia está cumprindo o que foi prometido quando da saida do PT do poder.
    O cerco esta se fechando e todos is envolvidos serao punidos e os cofres ressarssidos.

  2. É que se espera de um, juiz,quanto ao produto do roubo não ter sido localizado não é importante para a pena ser completa pois o confisco de todos os bens do envolvido e o completo cumprimento da pena deixa satisfeita a população. Pois é decepcionante quando um juiz libera um criminoso político responsável por tantas mortes em hospitais por falta do dinheiro roubado .

Deixe uma resposta