Governador do Amazonas diz que “não tinha nenhum santo” entre os presos mortos. É a pura verdade!

por Baltazar Soares

O governador do Amazonas, José Melo (PROS), afirmou que não tinha nenhum santo entre os 56 mortos nos últimos dias 1 e 2. Ele se refere ao massacre ocorrido na penitenciária Anísio Jobim, em Manaus, aquela que foi o assunto principal da semana.

Apesar de quererem polemizar o que disse o governador, e embora seja verdade que ele esteja querendo tirar a responsabilidade de suas costas, ainda assim é um fato que não havia inocentes entre os presos assassinados. E nem estamos falando pelo fato de serem presos, uma vez que a penitenciária é em si uma punição. Estamos falando do fato de que tanto os que morreram quanto aqueles que mataram eram, de fato, bandidos da pior estirpe, e tudo isso aconteceu em virtude de uma guerra de gangues.

Facções criminosas como o Comando Vermelho, o PCC ou a FDN são frutos de políticas de extrema-esquerda adotadas nas últimas décadas no país. Elas são o fruto de uma visão neo-marxista adaptada a partir de pensadores como Herbert Marcuse, que incentivava o uso de criminosos e marginalizados como massa de manobra política, entendendo que a classe trabalhadora não está nem aí para a revolução.

A guerra entre estas facções, portanto, é fruto também da engenharia social de extrema-esquerda, das políticas que foram impostas em nossa sociedade para organizar estas facções dentro dos presídios. A própria ideia de separar bandidos por facções dentro dos pavilhões tem como finalidade exatamente isso: manter o poder que estes criminosos possuíam do lado de fora das grades.

Nada disso teria ocorrido se tivéssemos, de fato, um sistema carcerário minimamente eficaz e se nossas leis não fossem tão coniventes com o crime organizado. Nada disso teria ocorrido se estes bandidos de alta periculosidade fossem tratados como aquilo que são: pessoas extremamente perigosas e nocivas. Nada disso teria ocorrido se estas facções fossem desmanteladas dentro dos presídios.

Agora que o massacre ocorreu, a imprensa de esquerda quer culpar o governador, quando deveria culpar a si mesma. É realmente triste para as famílias atingidas, mas esta era uma tragédia anunciada.

Anúncios

Deixe uma resposta