Uso de helicóptero por Pimentel revolta servidores de hospital infantil que teve verbas cortadas

Conforme a Folha, o helicóptero usado pelo governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), para buscar o filho após uma festa de Réveillon motivou protesto do funcionalismo. Nesta terça (3), servidores dos hospitais do Estado, em greve, exibiram cartazes com desenhos de helicópteros num ato em frente ao hospital infantil João Paulo 2º, em Belo Horizonte.

Paralisados desde o dia 22, eles protestam contra o parcelamento dos salários e o corte de alimentação a pacientes e acompanhantes. Carlos Augusto Martins, presidente da Asthemg (Associação dos Trabalhadores em Hospitais de Minas Gerais), disse: “O governo tira o café com leite dos hospitais, mas gasta com helicóptero”.

“É isso que vai tirar o Estado da quebradeira que está? Duvido muito.”

O governo de Minas decretou estado de calamidade financeira no início de dezembro, tem atrasado salários e parcelou o 13º dos servidores. O governo também informou que houve uma “mudança no processo de alimentação para evitar desperdício”, e que, desde dezembro, fornece alimentação a acompanhantes apenas nos casos previstos em lei (ou seja, no caso de pacientes crianças, adolescentes, idosos e gestantes).

Para pacientes, as refeições foram reduzidas de cinco para quatro em alguns hospitais –mas o governo argumenta que a quinta refeição, uma ceia simples, foi incluída no jantar. O governo do Estado afirmou, em nota, que realizou “inúmeras medidas de redução de gastos” para contornar a crise fiscal e que inclusive reduziu substancialmente os gastos com transporte aéreo em comparação com a gestão anterior.

 

Anúncios

Um comentário sobre “Uso de helicóptero por Pimentel revolta servidores de hospital infantil que teve verbas cortadas

  1. agora tá fácil falar em crise e cortar dos pobres…precisamos de auditorias independente para verificar se tudo isso é verdade, salários altos de comissionados, cabide de emprego de parentes etc isso tudo tem que passar por uma peneira fina e descobrir se existe crise ou não?

Deixe uma resposta