Dória quer fazer creches em agências bancárias vazias. Medida visa zerar as filas de espera deixadas por Haddad

O prefeito eleito de São Paulo, João Doria Jr, começou sua gestão inspirado. Durante sua primeira entrevista coletiva anunciou, entre outras medida de austeridade, que transformará agências bancárias vazias em creches, visando manter a meta de abrir neste ano 66 mil vagas para crianças de zero a três anos.

A referência para saber a necessidade de vagas de ensino infantil, foi feito a partir do tamanho da fila de dezembro. Doria afirmou que fará uma reserva de R$ 230 milhões para garantir a abertura dessas vagas e que a maioria delas está na zona sul.

“O programa começa ser implementado com ajuda das Organizações Sociais (OS). Acreditamos que esse seja um bom formato. E convidamos algumas instituições financeiras, do setor privado, e também instituições federais, a colaborarem com a cidade. Por que instituições financeiras? Não é para que ofereçam dinheiro, é espaço físico. Todas as instituições financeiras do País estão se desmobilizando. Isso é fato, vocês acompanham isso. Os bancos estão abrindo mão de suas agências. Pedimos a essas instituições que destinem alguns desses imóveis para a implantação de creches”, solicitou Doria.

“O foco inicial do secretário Alexandre Schneider (Educação) é atender essas 66 mil vagas concretas, confirmadas, com endereço. Ele já definiu um programa”, disse Julio Semeghini, secretário de Governo. “Esses espaços começam a ser usados imediatamente, à medida que sejam disponibilizados.”

Fonte

Anúncios

Um comentário sobre “Dória quer fazer creches em agências bancárias vazias. Medida visa zerar as filas de espera deixadas por Haddad

Deixe uma resposta