Kim Kataguiri desintegra professor de extrema-esquerda que criou fantasias sobre a direita na Folha

Em sua coluna na Folha, Kim Kataguiri destrói o professor da FGV e do IBMEC no Rio, Jorge Chaloub, típico militante da extrema-esquerda que havia feito uma entrevista para o mesmo jornal.

Na visão tendenciosa do professor, a direita possui um discurso que “divide o mundo entre bem e mal”, que, vejam só, é exatamente o que a esquerda faz. Como ensinava o assassino comunista Lenin, “acuse os adversários do que você faz e chame-os do que você é”.

Kim, mais uma vez, desmascara as falácias da esquerda. O líder do MBL explica que “até recentemente, os petistas eram intocáveis. Se você criticasse as atitudes de alguma figura do partido, era rechaçado e rotulado como uma espécie de leproso moral. Criticou o governo Dilma? Machista! Criticou Lula? Coxinha que odeia ver o filho da empregada andando de avião!” e diz que, por outro lado, “se você é da turminha e chama feministas de “mulheres do grelo duro”, aí tudo bem. Desde que você seja um guerreiro da justiça social, não um neoliberal a serviço do mercado malvadão, pode tudo. A esquerda, que tanto critica as falhas do capitalismo, criou um monopólio que não está disponível no mercado: o das virtudes”.

Chaloub tenta escapar dizendo que “a direita retrata ‘todas as posições que se assemelhem a esquerda como patologia, como exposto pelo termo ‘esquerdopata'”.

Infelizmente, diferente do pessoal de esquerda, o coordenador do MBL sabe do que está falando. Kim prova que o professor da FGV sequer sabe do que está falando. “Esquerdopata é um tipo muito específico de esquerdista: aquele que tenta justificar atrocidades em nome de um suposto ideal de igualdade. Não se trata, portanto, de uma palavra usada para caracterizar todas as esquerdas. Sendo assim, a afirmação de que a direita é maniqueísta é tão válida quanto a de que um mais um é igual a três.”, explica Kataguiri ao tendencioso militante de esquerda.

Como último recurso, Chaloub tenta usar o já batido discurso de que a mídia é golpista. De forma humilhante para o professor, o líder do MBL argumenta: “Como é que a mesma imprensa que exalta deputados como Jean Wyllys e Chico Alencar, ambos do PSOL-RJ, elegendo-os como os melhores do Brasil no prêmio “Congresso em Foco”, age em conluio com think tanks de direita?”. Essa doeu…

Kim encerra seu debate com o professor dizendo que a visão que “é por causa desse tipo de militância barata e intolerante, travestida de análise acadêmica, que a esquerda está cada vez mais se limitando a uma bolha de elite”.

Pois é. Fica a dica para o pessoal da extrema-esquerda: da próxima vez, como vocês mesmo gostam tanto de falar, que tal estudar história antes de entrar em um debate e passar vergonha?

Fonte

Anúncios

9 comentários sobre “Kim Kataguiri desintegra professor de extrema-esquerda que criou fantasias sobre a direita na Folha

  1. Kim K. Parabéns realmente é bom ver um jovem com ideias claras sem sbterfugios ,continue assim o Brasil precisa de homens de carater ,,,em compensação Fhc é um sociólogo enganador,ele deveriam se espelhar no escritor Peruano Mario Vargas este sim é um homem inteligente porque não aprender Sr.Fernando nunca é tarde !!! Largue de ser bobo.

  2. Viva a #Direita! vamos dominar o Brasil! Somos os únicos certos nessa história toda! Só nós temos razão! #KimKataguiri #EsquerdaLixo #Cadeia

  3. Quanta asneira, desmascarou, passou vergonha kkk, que notícia ridícula, inversão total de conceitos, manda essa marionete das elites ir estudar História.

  4. Um excelente e robusto ano de 2017 para o blog «Jornal Livre»!

    Bom…,

    ¯\_(ツ)_/¯ ©

    Viva 2016!

    Em 2016 houve fato fabuloso sim, apesar de Vanessa Grazziotin falar que não, dessa forma equivocada assim:

    “O ano de 2016 é, sem dúvida, daqueles que dificilmente será esquecido. Ficará marcado na história pelos acontecimentos negativos ocorridos no Brasil e no mundo. Esse é o sentimento das pessoas”, diz Grazziotin.

    Mas, por outro lado, nem que seja apenas 1 fato positivo houve sim! É claro! Mesmo que seja, somente e só, um ato notável, de êxito. Extraordinário. Onde a sociedade se mostrou. Divino. Que ficará na história para sempre, para o início de um horizonte progressista do Brasil, na vida cultural, na artística, na esfera política, e na econômica.

    Que jamais será esquecido tal nascer dos anos a partir de 2016, apontando para frente. Ano em orientação à alta-cultura. Acontecimento esse verdadeiramente um marco histórico prodigioso. Tal ação acorrida em 2016 ocasionou o triunfo sobre a incompetência. Incrementando sim o Brasil em direção a modernidade, a reformas e mudanças positivas e progressistas. Enfim: admirável.

    Qual foi, afinal, essa ação sui-generis?

    Tal fato luminoso foi o:

    — «Tchau querida!»*

    [ (*) a «Coração Valente©» do João Santana; criada, estimulada e consumida. Uma espécie de Danoninho© ‘vale por um bifinho’. ATENÇÃO: eu disse Jo-ã-o SAN-TA-NA].

    Eis aí um momento progressista, no ano de 2016. Sem PeTê. Sem baranguice. Sem política kitsch do Petismo.

    A volta de decoro ao Brasil.

    Feliz 2017 a todos.

    [P.S.: a todos do blog, que fiquem atentos à picaretagem em 2017 & que vossas mentes permaneçam rápidas perante ao ilusionismo do PT. Um sublime 2017!].

Deixe uma resposta