Novo patamar de mimimi: advogado de Lula é chamado de escória e culpa Sérgio Moro

Conhecido por fazer jogos psicológicos sujos e emitir as mesmas narrativas da propaganda do PT – que diz que Lula “é perseguido”, e portanto deveria ser o único brasileiro com impunidade garantida -, o advogado Cristiano Zanin foi chamado de escória no Messenger.

esc

Daí, Zanin resolveu lançar uma narrativa vitimista:

“É claro que a pessoa que escreveu a mensagem abaixo mensagem sabe que está cometendo um crime. Mas acha que por estar escrevendo no ‘Messenger’ está imune às leis. Infelizmente isso acontece com muita frequência. Manifestações de racismo também ocorrem – geralmente – dessa forma. Mas o exemplo negativo também vem de pessoas que exercem relevantes cargos públicos. Por exemplo: recentemente um juiz permitiu que uma “testemunha” chamasse a parte e seu advogado de “lixo” e depois chegou a pedir “desculpas” a ela – sabe-se lá o motivo.

Tudo gravado e preparado para ser exibido no “Jornal Nacional”. Não bastasse, depois de achar que nada estava sendo registrado, passou a agir de forma desrespeitosa e incompatível com o cargo. Que País desejamos? Esse, do ódio e da intolerância, estimulados até mesmo pelas autoridades? Ou um País em que a tolerância e a diversidade sempre andaram juntas? Espero que a “doença” da intolerância não se torne crônica e seja superada nesse novo ano que em breve se iniciará! E que as preferências e divergências políticas não sejam resolvidas pelos tribunais, mas, sim, pelo povo, como diz a Constituição Federal.”

Esse é o problema dos advogados de Lula (ao menos, para o chefe da ORCRIM): eles perdem mais tempo se fazendo de vítima do que defendendo algo efetivamente.

Anúncios

13 comentários sobre “Novo patamar de mimimi: advogado de Lula é chamado de escória e culpa Sérgio Moro

  1. É MAIS UM ARROGANTE QUERENDO APARECER E ACHA Q VAI SE DIVULGAR . A ÚNICA IMAGEM QUE ESSE SEM NOÇÃO ESTÁ PASSANDO É DE CUMPLICIDADE NOS CRIMES E BANDIDO IGUAL !!!

  2. Diz a esse advogado defensor de quadrilhas, quem crioi no Brasil o Nós e Eles, o ódio entre classes sociais , etc, foram os PTralhS e não o juiz Sérgio Moro.

  3. É mentira qdo Zanini diz q a testemunha chamou os advogados de lixo e que Moro não fez nada e ainda pediu desculpas, sem q ele, Zanini, soubesse os motivos. É mentira porque Moro advertiu a testemunha imediatamente, repreendendo-o, pedindo que se limitasse a responder sem ofensas. E pediu desculpas à testemunha, depois, bem depois, pelo constrangimento que ELE, ZANINI, estava causando, pelas perguntas que fazia a mesma testemunha.

  4. Cristiano Zanin, é um canalha oportunista, pior que escória, pelo simples fato de defender um crápula da pior espécie, o fato da intolerância, que ele se refere é o contrário, “nós brasileiros NÃO TOLERAMOS MAIS GENTE DA SUA LAIA IMUNDA E DO PORCO PINGUÇO DO LULA, DESENHEI!!

  5. Só uma pergunta de onde vem os milhões que recebeu para defender o companheiro LULA? ele vai se fazer de coitadinho, ou dizer desconhece o assunto.

  6. Absurdo: Livro recomendado pelo MEC faz propaganda para Lula e diz que governo FHC era “ditadura”
    AVANÇAR
    Próximo post:Fernando Pimentel usa helicóptero do governo para buscar filho embriagado após réveillon
    Pesquisar por:
    Pesquisar …
    PESQUISAR
    Estamos no Facebook

    Últimos textos

    A “imparcialidade” da Folha com a Lava Jato e Lula
    Governador do Amazonas diz que “não tinha nenhum santo” entre os presos mortos. É a pura verdade!
    Massacre de Manaus: Governo Dilma reduziu em 85% os repasses para construção de novas penitenciárias
    Principal propagadora de narrativas pró-PT na grande mídia, Folha volta a demitir para cortar custos
    Temas

    Coluna
    Nota
    Notícia
    Opinião
    Siga via RSS

    RSS Feed RSS – Posts
    Corruptos e caras de pau , ESTELIONATO NA CARA DURA .USUFRUIR DE UM BEM QUE NÃO LHE PERTENCE E GASTAR UM DINHEIRO QUE NÃO É SEU É ROUBO , OUTRO CRIME .

  7. Produtos e Serviços CredibilidadeMapa do UJFale ConoscoRSS
    HomeNotíciasDoutrinasContratosPrática ProcessualFórumEventosÍndices Econômicos

    Pesquisar Doutrinas
    Buscar ISSN 2177-028X

    A A A
    Relatar Conteúdo Impróprio
    pessoas gostaram33
    Gostei
    Brasil: País Rico, Povo Pobre

    O Brasil é rico, pois possui um território gigantesco, com mais de oito milhões quinhentos mil quilômetros quadrados, imensas reservas e recursos naturais de causar inveja aos outros povos. Produz desde café, soja, cacau e exporta automóveis, aviões, minérios de ferro, é o primeiro país do globo em reservas de nióbio, um metal especial. Enquanto outros povos sofrem com a falta de água, o Brasil ainda se dá o luxo de desperdiçar água. Apesar do desmatamento irresponsável, as nossas florestas ainda são enormes. Há uma grande produção de leite, carne bovina, frango e cereais que são exportados aos milhões de toneladas. È um país maravilhoso, a sua cultura é diversificada, além de ter um rico folclore. Entretanto, por mais esforços que tenham feitos os governantes, o povo, em sua grande maioria ainda é pobre e há, ao menos, dezessete milhões de analfabetos. E, por que somos pobres? O Japão não possui recursos naturais, importa desde minérios até carnes e é a segunda economia mundial. A Suíça não produz cacau, mas fabrica o melhor chocolate do mundo. Acaso não será porque são países com história mais antiga do que o Brasil? Mas, a Índia e o Egito que são povos milenares, são pobres e o Brasil com mais de quinhentos anos de existência é pobre. Enquanto que países novos, como Austrália, Nova Zelândia e Canadá, são ricos. Qual a diferença e o que acontece? Onde estarão as causas da pobreza da grande maioria do povo brasileiro?

    O que nos falta são atitudes, iniciativas e força de vontade de superação. Deixar de levar vantagens em tudo e não se acomodar. “Não deixar para a tarde o que puderes realizar pela manhã”. Há princípios que deveríamos adotar, diariamente, e não uma vez ou outra. Ética, ser verdadeiro, honesto e íntegro. Respeitar as leis, regulamentos e o direito dos outros cidadãos. Compreender que a cada direito há um dever a ser cumprido. Amor ao trabalho. O trabalho é uma dádiva, logo, quando trabalhamos deveremos sentir que estamos colaborando para o país e para os outros e não somente para sobreviver. A grandeza da Nação depende de cada um de nós. O desejo de superação é algo extraordinário, exige garra, força e coragem. No Brasil há um péssimo costume de não ser pontual. A pontualidade demonstra organização e responsabilidade, seja, portanto, sempre pontual em todas as ocasiões. Economize, faça poupança, mesmo que seja de apenas um real, pois é uma forma de se organizar pessoalmente e estimular os demais familiares a fazer o mesmo. Caso lhe seja possível, além de poupar faça investimentos. Quando perceber que há algo errado na sociedade ou comunidade onde vive, deve se indignar publicamente. Proteste, fale com os seus amigos, comente em seu ambiente de trabalho, mas não deixe pra lá. No Brasil faltam-nos atitudes. Tenha uma memória viva e seja forte. Todo o dia diga a si mesmo ao se levantar: “eu quero, eu posso, atingirei os meus objetivos, pois o meu ser é como o de qualquer pessoa”. As forças do criador estão em mim e tudo posso. É este acreditar que nos levará à vitória. E, caso todas as pessoas tomem atitudes, diariamente, com desejo forte de superação e orgulho de ser brasileiro, ninguém poderá com este país e seremos exemplo para o mundo. E então, vamos começar hoje uma nova vida? Tenha fé e ultrapasse os degraus da fé e alcance a confiança plena tanto em você como nos cidadãos.

    Texto confeccionado por
    (1)Olavo D´Câmara

    Atuações e qualificações
    (1)Advogado militante de Empresas e Instituições Financeiras. Professor Universitário de Direito Constitucional, tendo lecionado em inúmeras Faculdades de Direito em São Paulo e no interior do Estado de São Paulo. Formação Acadêmica: Direito, História, Pedagogia e Estudos Sociais. Especialista em Direito Constitucional e Didática do Ensino Superior pela Universidade Mackenzie de São Paulo. Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Mackenzie de São Paulo. Cursou o Mestrado em Ciências Sociais pela PUC/SP e está inscrito no Programa de Doutorado pela UMSA Buenos Aires. Argentina.

    Bibliografia:

    D´CÂMARA, Olavo. Brasil: País Rico, Povo Pobre. Universo Jurídico, Juiz de Fora, ano XI, 23 de mar. de 2009.
    Disponivel em: . Acesso em: 04 de jan. de 2017.

Deixe uma resposta