Artista cubano continua preso injustamente há mais de um mês por ter protestado contra Fidel

O artista plástico e ativista Danilo Maldonado,  também conhecido como”El Sexto”, está preso, em prisão de segurança máxima próximo a Havana, ainda sem uma acusação formal. Ele está nesta situação desde a morte do ditador assassino Fidel Castro, há pouco mais de um mês.

Oficialmente, de acordo com a lei cubana, ele será processá-lo por “dano à propriedade do Estado”, uma acusação genérica, usada como desculpa para prender aqueles que se opõem à ditadura. El Sexto foi preso na manhã da morte do ditador cubano.  Ele saiu às ruas de Havana e escreveu, no muro de um hotel e nos de mais dois edifícios públicos as palavras: “Se Fue” (foi-se, em espanhol).

Em poucos instantes, a polícia foi até a casa do artista e literalmente, o arrastou o complexo penitenciário de Combinado del Este. Para servir de exemplo, foi espancado durante o percurso.

“Não o julgaram ainda por uma razão simples. Esse tipo de ofensa é punida aqui com o pagamento de uma taxa de cem a 200 pesos cubanos. É pouco. Se eles o condenam, nós pagamos, e ele seria liberado rapidamente. Mas eles não o fazem, porque a ideia é deixá-lo nesse limbo jurídico”, disse a mãe do ativista anti-ditadura, em matéria publicada pela Folha, Maria Victoria Machado Gonzalez.

Vários órgãos de defesa dos direitos humanos, como a Anistia Internacional exigiram a liberação de El Sexto mas Cuba parece ignorá-los.

A nós, só resta agradecer por não terem conseguido fazer algo semelhante aqui, no Brasil, durante os últimos 13 anos.

Anúncios

Um comentário sobre “Artista cubano continua preso injustamente há mais de um mês por ter protestado contra Fidel

Deixe uma resposta