Não vai ter mais sorvete de morango no avião do presidente. Bom exemplo.

Conforme o site República de Curitiba, o Palácio do Planalto acaba de informar que decidiu cancelar a “compra de alimentos” para o avião presidencial.

“Pela manhã, havia sido aberta licitação para contratar serviços de alimentação para abastecer os aviões que transportam o presidente Michel Temer e sua comitiva.

De acordo com o edital publicado no dia 19 de dezembro no Diário Oficial da União, o valor da contratação era estimado em R$ 1.748.653,20, sendo que R$ 166 mil em serviços e R$ 1.58 milhão em material. As propostas seriam apresentadas no próximo dia 2 de janeiro e o contrato teria a duração de um ano.

Entre os itens apontados, o governo previa gastar até R$ 42 mil em gelo, sendo R$ 19 mil em gelo em cubo, R$ 1.370 em gelo em cubinhos e R$ 21,6 mil em gelo seco. Havia ainda a estimativa de que o governo pagasse até R$ 28 mil por 1.500 pacotes de papel toalha e mais R$ 10.420 por mil pacotes de guardanapos com 50 unidades. Também constava no edital a estimativa de gasto de R$ 1.740 por 600 rolos de papel higiênico.

Em sorvete, o governo estimou gastar mais de R$ 17 mil, sendo que R$ 7.545 em 500 unidades de sorvete tipo premium Haagen Dazs e R$ 8.625 em sorvete sem lactose de amora e morango. Também estava na lista de itens da licitação outros sorvetes com as marcas já estipuladas.

Para o café da manhã do presidente foram estipuladas 200 unidades no valor unitário de R$ 96,43, o que totalizava R$ 19.286,00. Houve ainda a contratação de 200 unidades de um “breakfast quente”, por R$ 59,90, totalizando R$ 11.980. E, por fim, seriam adquiridas 500 unidades de um café da manhã vip para a comitiva com o valor médio estimado em R$ 70,37, o que pode resultar num gasto de R$ 35.185.”

Fonte: República de Curitiba

Anúncios

Deixe uma resposta