Haddad tentou governar para a elite e por isso foi enxotado

por Baltazar Soares

O atual prefeito de São Paulo é uma figura “emblemática”. No discurso, fala em governar para os mais pobres, mas na prática fez exatamente o contrário. Ele transformou São Paulo em um inferno para qualquer sujeito que tenha que acordar cedo e atravessar a cidade em ônibus, metrô ou mesmo de carro.

Medidas como a redução de velocidade das marginais, a imposição de ciclofaixas mal feitas em locais nos quais não era necessário e a instalação de centenas de radares para multar os paulistanos foram algumas das coisas mais impopulares que o petista fez. João Dória, no entanto, apostou no inverso, apresentando propostas que de fato vão agradar o trabalhador, o cidadão honesto e de baixa renda.

Ciclofaixa é uma ideia bonitinha, funciona em Copenhague onde todo mundo consegue comprar uma bicicleta boa, onde o trânsito não é composto por milhões de pessoas todos os dias. Em São Paulo evidentemente foi uma má ideia. Pessoas que trabalham 8 ou 10 horas por dia e precisam atravessar a enorme cidade não têm disposição ou mesmo condições para fazer o trajeto em uma bicicleta, isso é coisa de riquinhos que saem para passear no fim da tarde.

A razão para que homens como Haddad sejam tão rejeitados é que eles são extremamente arrogantes. O petista foi o prefeito mais boçal que a cidade já teve até hoje, não é à toa que seja o mais rejeitado. Ele achou que sabia o que as pessoas tinham que querer, ignorando que elas simplesmente não queriam. É o tipo de homem que trabalha em prol da agenda política e não de seres humanos.

Estas são as principais razões para que o petista tenha sido tão agressivamente enxotado pelo povo.

Anúncios

3 comentários sobre “Haddad tentou governar para a elite e por isso foi enxotado

Deixe uma resposta