Marina Silva vai se juntar com lideranças do partido para produzir novas narrativas

Marina Silva, o plano B do PT para 2018, tem dito a interlocutores que é hora de seu partido se “reposicionar” (seja lá o que isso queira dizer para ela) diante dos eleitores. Em sua visão, o eleitorado teria ficado confuso sobre o que o que quer o partido desde o impeachment.

Na verdade, a população no geral sempre fica confuso não só com o que ela fala mas também com as posições ambíguas de seu partido.

Durante o impeachment de Dilma, Alessandro Molon e Randolfe Rodrigues da Rede, se declararam contra a saída da ex-presidente, enquanto o partido, ao menos oficialmente, se definiu favorável.

Ainda assim, ela tem uma base de eleitores que não pode ser desprezada. É preciso tomar cuidado para não termos uma nova Dilma.

Fonte

Anúncios

Um comentário sobre “Marina Silva vai se juntar com lideranças do partido para produzir novas narrativas

  1. Pobre do brasil, olha só; o que alguns estão apontado como alternativa.

    Isso só reforça a tese, que a melhor saida para o brasil é o aeroporto.

Deixe uma resposta