Fernando Haddad é condenado por improbidade administrativa

Nada como iniciar o dia vendo justiça, ainda que tardia, sendo feita. O Ministério Público do Estado pediu a condenação por improbidade administrativa do prefeito Fernando Haddad (PT), do maestro John Neschling e mais de dez investigados no escândalo de desvio de verbas do Teatro Municipal de São Paulo.

Além do pedido de condenação, a Promotoria requereu a condenação do petista e dos demais à suspensão dos direitos políticos e à devolução de R$ 128,7 milhões por “danos causados” a partir de pagamentos efetuados para o Instituto Brasileiro de Gestão Cultural (IBGC) e de R$ 468 mil decorrentes da contratação suspeita de Neschling.

A ação, submetida ao Fórum da Fazenda Pública da Capital, é de responsabilidade dos promotores de Justiça Marcelo Camargo Miani e Nelson Luís Sampaio de Andrade, da Promotoria do Patrimônio Público e Social, braço do Ministério Público que investiga corrupção e improbidade.

“O demandado Fernando Haddad, como prefeito, deve ser responsabilizado, posto que dentre suas atribuições estão as de natureza administrativa, aquelas que visam a concretização das atividades executivas do Município, por meio especialmente de atos administrativos sempre controláveis pelo Poder Judiciário”, confirmam os promotores.

Como todos já suspeitavam do petista, os responsáveis pelo julgamento finalizam que “Para satisfazer capricho pessoal, Fernando Haddad resolveu contratar de maneira totalmente ilegal e contando com fraudes e ilegalidades dos outros demandados. É certo que, ao agir desta forma, os demandados violaram vários princípios. Atentaram contra o princípio do interesse público.”

Fonte

Anúncios

Deixe uma resposta