Advogado de Lula na ONU tenta mas não consegue controlar Moro

O blog petista Tijolaço divulgou uma entrevista de Geoffrey Robertson, advogado de Lula (e que já defendeu Mike Tyson, entre outras figuras polêmicas para não dizer algo pior…) que o representa na Corte de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, na qual o promotor ataca Sérgio Moro irracionalmente.

O motivo é que, segundo Robertson, Moro é “incontrolável”. Esse tipo de reação raivosa é típica de todo militante de extrema-esquerda que se vê contrariado e não consegue influenciar de alguma forma seu algoz.

E, para a tristeza do advogado petista (e de Lula), Moro realmente não pode nem deve ser controlado. O juíz da Lava Jato age segundo seus próprios princípios e está protegido pela independência jurídica brasileira.

A ONU, por sua vez, pode até opinar mas, na prática, não tem autoridade sobre nenhum país. De fato, o próprio Robertson não representa a ONU. Representa apenas os interesses petistas que, como todos sabem, não são dos melhores. Na visão do advogado de Lula, Moro age “como um egomaníaco, que ama a publicidade e que levanta multidões para o seu lado”. Não é possível concordar com a primeira parte da afirmação mas, certamente, Moro atrai multidões para seu lado. Multidões de brasileiros cansados de tanta impunidade.

Ou seja, não se pode levar tal entrevista a sério e ter consciência política ao mesmo tempo. Tratativa semelhante merece o blog em questão. O Tijolaço entre outras matérias exóticas, tem títulos como “Perseguição a Lula vai gerar efeito bumerangue?” Se você acha que ninguém mais acredita nessa história de perseguição à Lula, pode apostar que sempre há alguém ingênuo ou bem pago o suficiente para passar essa lorota adiante.

Fonte

 

Anúncios

2 comentários sobre “Advogado de Lula na ONU tenta mas não consegue controlar Moro

  1. Precisando de revisor de texto? Estou à disposição para corrigir erros de português nos seus textos. somente neste, encontrei alguns inaceitáveis, como : uso de crase diante de palavra masculina e um terrível “à diante” em vez de adiante.
    Contatos por e-mail; docarmorevisora@gmail.com

Deixe uma resposta