Fim de carreira, literalmente: MP pede condenação de Haddad por improbidade administrativa

O Ministério Público de São Paulo pediu a condenação do prefeito Fernando Haddad (PT), do maestro John Neschling e mais dez investigados no escândalo de desvio de verbas do Teatro Municipal de São Paulo. Segundo a Jovem Pan, a Promotoria requereu a condenação do petista e dos demais citados à suspensão dos direitos políticos e, solidariamente, à devolução de R$ 128,7 milhões por danos causados a partir de pagamentos efetuados para o Instituto Brasileiro de Gestão Cultural (IBGC) e de R$ 468 mil decorrentes da contratação de Neschling.

Além de Haddad e do maestro são citados Willian Nacked, John Luciano Neschiling, Rogério Ceron de Oliveira, Nunzio Briguglio Filho, João Luiz Silva Ferreira, Aline Sultani, Ana Flávia Cabral Souza Leite, Ana Paula Teston, Valentin Proczynski e José Roberto Mazetto.

A ação, submetida ao Fórum da Fazenda Pública da Capital, é subscrita pelos promotores de Justiça Marcelo Camargo Miani e Nelson Luís Sampaio de Andrade – ambos da Promotoria do Patrimônio Público e Social, braço do Ministério Público que investiga corrupção e improbidade.

Um dos acusados, José Luiz Herencia é ex-diretor da Fundação Theatro Municipal de São Paulo. Investigado por supostamente superfaturar contratos da entidade com artistas e causar prejuízo de pelo menos R$ 18 milhões aos cofres públicos, Herencia fechou acordo de delação premiada com o Ministério Público Estadual.

Ele confessou os crimes e delatou outros supostos participantes do esquema de corrupção – o maestro Neschling, que foi diretor artístico durante a gestão de Herencia, e William Nacked, diretor do Instituto Brasileiro de Gestão Cultural.

Anúncios

7 comentários sobre “Fim de carreira, literalmente: MP pede condenação de Haddad por improbidade administrativa

  1. Depois de tanta e tamanha rapinagem dos cofres públicos, que parecia prestes a findar-se, eis que surge ,já agora, um novo escândalo, envolvendo o ex prefeito de São Paulo, Fernando Haddad por improbidade administrativa, e demais membros de uma camarilha, responsável pelo assalto aos cofres do Teatro Municipal de São Paulo, alcançando, desta vez, por tabela o meio artístico paulista, num triste e dantesco espetáculo de corrupção, que acabou por levar a Promotoria Pública a exigir a devolução do montante de quase 129 milhões de reais, e que, no computo geral, acaba por englobar nesse lamaçal da mais pura safadeza, praticamente quase todos os setores da atividade publica e privada desse nosso desfortunado pais.

  2. Contra políticos ligado ao pt a justiça é firme e forte mesmo sem provas quanto aos outros é uma moleza olha o caso mais recente o da merenda escolar

  3. Caramba tanta ladroagem descobertas e não acontece nada com esses cretinos porque não pegam todo dinheiro roubado e devolvem para os hospitais escolas inss pelo amor de DEus prendem de uma vez os culpados e recuperem os dinheiros de volta de onde for ao roubados e coloquem o Brasil em pé de novo só vocês pode fazer isso lugar de ladrão é na cadeia não só ficar no blá blá blá não é justo isso

  4. Lugar de ladrão é na cadeia já que descoberto prenda logo é devolvê o dinheiro para os cofres público de onde nunca deveria ter sai do prisão perpétua para lula

  5. Se roubaram está quantia do Teatro Municipal, o que será que não fizeram na administração do restante dos recursos em outras áreas bem mais “polpudas”!
    PT o maior assaltante de patrimônio público do MUNDO, em todas as gerações passadas e que o seja também nas futuras, pois acredito piamente que o povo brasileiro irá extirpar este partido e os demais que foram seus “aliados”, mas pra mim foram cúmplices, do poder. Que a justiça seja feita, mesmo que seja pelas mãos do povo, através do VOTO ou de manifestações públicas ou digitais.

Deixe uma resposta