Projeto que ataca supersalários do judiciário e MP segue em frente

Continuando sua ofensiva contra integrantes do Judiciário e do Ministério Público, o Senado aprovou na última terça-feira (13/12) projeto que coíbe supersalários no funcionalismo público. Entre outros itens,  há uma proposta que define quais “benefícios” deverão ser considerados nos cálculos do teto constitucional, de R$ 33,7 mil, cortando alguns dos chamados penduricalhos que inflam vencimentos nos Três Poderes a níveis faraônicos.

O projeto afeta, entre outros, magistrados, militares, chefes dos Poderes e servidores de estatais. Além disso, se enquadra como ato de improbidade a autorização de pagamento de verbas remuneratórias acima do limite. Os projetos seguem agora para votação na Câmara, onde, provavelmente, devem ser analisados somente a partir de 2017.

“No momento em que o Senado regulamenta o crescimento do gasto público, outra medida não poderia tomar a não ser a regulamentação do extrateto constitucional. Hoje foi um dia de grandes vitórias”, afirmou Renan após conclamar a aprovação dos projetos.

Fonte

 

Anúncios

Deixe uma resposta