Armação? Apelidos dados a políticos em mega delação da Odebrecht não batem

Parece que há controvérsias nas declarações feitas na última delação da Odebrecht. Segundo o UOL, alguns apelidos dados a políticos estariam diferentes dos documentos que haviam sido apresentados até o momento.

Um exemplo é Romero Jucá, que em delações anteriores era citado como “Cacique”, mas que na última delação foi mencionado como “Caju”. Renan Calheiros, que era chamado de “Atleta”, foi chamado de “Justiça”. Até mesmo o nome do petista Jaques Wagner estaria trocado. Antes chamado de “Passivo”, agora é chamado de “Polo”.

A força-tarefa suspeita que essas incoerências nas delações possam ser fruto de alguma armação de alguns executivos, mas também pode ser alguma artimanha política para beneficiar o PT invalidando documentos que mencionam caixa 2 para campanhas de Gleisi, Dilma e outros.

Anúncios

Um comentário sobre “Armação? Apelidos dados a políticos em mega delação da Odebrecht não batem

Deixe uma resposta