Advogado de Direitos Humanos diz que “arrastão não é crime” e gera revolta

O advogado da Comissão Popular de Direitos Humanos, Caio Moura, de Recife, alegou que a prisão de 52 terroristas pela Polícia Militar é ilegal porque, segundo ele, “arrastão não é crime.”

As milícias de extrema-esquerda praticaram atos terroristas em diversas capitais brasileiras ontem, após aprovação da PEC 55 no Senado. Os piores casos ocorreram em São Paulo e Brasília, mas Recife também foi alvo. Testemunhas alegam que dezenas de pessoas praticaram arrastões no início da noite.

Os arrastões são ações em grupo que visam furtar ou depredar patrimônio público e privado. Algumas imagens mostram ruas destruídas e sujas após o ato. Pode até ser que não haja tipificação específica para o arrastão, mas ele implica em depredação de patrimônio, roubou (ou tentativa) e ainda pode resultar em lesão corporal.

Anúncios

2 comentários sobre “Advogado de Direitos Humanos diz que “arrastão não é crime” e gera revolta

  1. gostaria de saber qual seria a reação desse causídico imbecil, se os danos fossem em sua propriedade. aposto e ganho que ele processaria e puniria com requintes de crueldade esses anjinhos terroristas .

Deixe uma resposta