Ditadura cubana silencia oposição no Dia Internacional dos Direitos Humanos

O regime cubano realizou o “Dia Internacional dos Direitos Humanos”, com atos políticos, festas e concertos dedicados ao ditador Fidel Castro, mas como era esperado, silenciou a oposição, impedindo ativistas de realizar atividades relacionadas a data.

A sede das Damas de Blanco, movimento que reúne esposas de presos políticos e protesta a favor da liberdade de expressão em Cuba, ficou sob vigilância da polícia e proibidos de sair. No local estava a jornalista independente Lazaro Yuri Valle, o ex- prisioneiro político Anjo Moya, e mais seis mulheres. Membros da organização que residem em diferentes partes da capital foram impedidos de deixar suas casas.

Além disso, outros grupos de opositores também relataram violações da liberdade de expressão neste 10 de dezembro.

Fonte: Martí

Anúncios

Um comentário sobre “Ditadura cubana silencia oposição no Dia Internacional dos Direitos Humanos

Deixe uma resposta