Lanchonete vegana falida nos EUA prova que o marxismo não presta nem para fazer sanduíches

por Baltazar Soares

Na cidade de Grand Rapids, estado de Michigan, uma lanchonete teve de fechar suas portas após pouco tempo de funcionamento. Os “donos” do negócio se viram diante dos fatos e perceberam que sua ideologia marxista, quando aplicada a uma empresa de verdade, não funcionava tão bem quanto nos livros.

Sim, “donos”, entre aspas mesmo. Afinal, como eram marxistas, eles não podiam ser proprietários de coisa alguma, então a lanchonete pertencia a todos. Como pertencia a todos, não tinha regras. Os funcionários trabalhavam quando queriam, como queriam e eles decidiam em assembleia os horários de funcionamento da lanchonete, que abria um dia em horário X, outro dia em horário Y.

De acordo com o Instituto Liberal de São Paulo, as pessoas comentavam frequentemente na página do Facebook do restaurante que tinham que esperar por 40 minutos por um sanduíche, isso quando o restaurante estava aberto. Como os empregados definiam o horário de funcionamento do estabelecimento em assembleia, o restaurante abria e fechava em horários aleatórios, deixando os clientes totalmente confusos.

Era óbvio que não ia dar certo. O marxismo só funciona quando usa o dinheiro dos outros. Os “donos” da lanchonete não tinham como obrigar os clientes a comprarem lá, diferente do que fizeram na União Soviética, onde todos foram obrigados a pagar o preço da “igualdade”.

Anúncios

Um comentário sobre “Lanchonete vegana falida nos EUA prova que o marxismo não presta nem para fazer sanduíches

Deixe uma resposta