Invasores devem deixar a UnB até o próximo dia 13

A invasão da Universidade de Brasília finalmente chega ao fim, após acordo entre alunos e a Reitoria. A instituição está com suas atividades paralisadas desde o dia 1º de Novembro por grupos de extrema-esquerda que protestam contra a PEC do teto de gastos e a reforma do Ensino Médio.

Os prédios da UnB devem ser desocupados pelos militantes até o próximo dia 13 (terça-feira), de acordo com o compromisso que foi firmado ontem durante audiência pública mediada pelo Ministério Publico Federal. Ficou estabelecido que os integrantes do movimento Ocupa UnB têm até 18h para começar a deixar a Reitoria demais prédios invadidos.

Uma liminar chegou a determinar a saída dos estudantes em 48 horas, porém o Ministério Público Federal protocolou um recurso contra a decisão que no entendimento do órgão, “feria a democracia e direitos humanos dos invasores”. Diante da decisão de ontem, a procuradora da República Luciana Loureiro comentou que o desfecho do episódio justificou a postura do MPF ao lado dos invasores.

 “Como a ocupação começou há mais de trinta dias, o MPF entendeu que era necessário ter uma definição precisa sobre a desocupação, considerando que vários serviços estavam comprometidos e muitos alunos tiveram o seu cronograma de aulas prejudicado”, afirmou.

O movimento Ocupa UnB era apoiado por UNE (União Nacional dos Estudantes) e UBES (União Nacional dos Estudantes Secundaristas), além do Levante Popular da Juventude (ligado ao PCdoB), Juntos (ligado ao PSOL) e UJS (União da Juventude Socialista). Figuras de extrema-esquerda ligadas ao Partido Comunista do Brasil como Carina Vitral, Camila Lanes e Emerson Catatau chegaram a participar de atos na universidade.

O que pesou na decisão dos invasores em aceitar o acordo foi a proximidade das festas de final de ano e férias e o desgaste do movimento, que além de ser rejeitado pela maioria dos alunos e da sociedade, chegou ao final do ano sem alcançar qualquer objetivo.

Anúncios

Deixe uma resposta