Caiado diz que existência da EBC é uma “aberração do Estado”

Em audiência na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, Ronaldo Caiado denunciou os gastos absurdos da Empresa Brasil de Comunicação, a EBC.

Disse o Senador:
“Nos ainda não conseguimos entender ainda a mensagem dos milhões de pessoas que foram às ruas”, disse Caiado.

“Eu acho que isso aqui é uma das aberrações do estado. Isso aqui eu posso rotular com como sendo exatamente uma monstruosidade criada pelo Estado. Isso é inadmissível. Eu vou votar com o relator, pelo respeito que tenho ao nobre relator 9…) mas eu gostaria de pedir aos nobres pares que nos fossemos até o presidente da República para pedir a ele a extinção dessa empresa. Nós apresentarmos a população um gasto desses no momento em que nos estamos recebendo aqui a reforma da previdência e as limitações de atendimento na área da saúde. Essa medida provisória terá meu voto em apoio a Vossa excelência ao respeito que todos nós temos pelo senador Lasier.”

O Senador Lasier Martins é relator Medida Provisória (MP) nº 744, que altera a Lei 11.652, de 7 de abril de 2008 modificando a estrutura administrativa da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Lasier sugere em seu relatório que o Conselho Curador seja substituído por um Comitê Editorial e de Programação, passando de 22 para 11 membros, e sem remuneração. Também é proposto que o comitê seja composto por profissionais da área de Comunicação e representativos de segmentos da sociedade. No entanto, Caiado acredita que a única solução possível para resolver o problema da EBC é a extinção da empresa. Criada por Lula em 2008, a EBC se tornou um dos principais bastiões do petismo, admitindo em seus quadros jornalistas alinhados com o governo como Tereza Cruvinel, Ricardo Mello e Emir Sader. Após o impeachment, houve corte de cargos e a demissão de Mello na presidência da empresa, substituído pelo jornalista Laerte Rimoli.

O senador Caiado também lembrou que os gastos de 600 milhões para a EBC colidem com a PEC do Teto de gastos.

“Qual é a prioridade destes gastos? Qual é a prioridade de determinarmos um gasto de 600 milhões para a EBC?”

E concluiu:

“Essa finalidade não é de governo. Governo tem que se ocupar de suas funções próprias, claras. E não se ocupar de ter uma televisão para agradar o presidente da República, tal qual foi usada nos últimos anos. Isto é um absurdo, uma invasão daquilo que não é uma prerrogativa do estado estar criando. As funções precípuas do Estado são claras. Nós estamos aqui criando um inchaço da máquina pública, para criar cabides de empregos para a população brasileira pagar com altos salários.”

Anúncios

Um comentário sobre “Caiado diz que existência da EBC é uma “aberração do Estado”

  1. Vdd 600 milhões pra fazer TV para o governo e não adianta nada o governo tá muito ruim não é mídia q vai segura e fazer pano de fundo e a reforma da previdência primeiramente deve a dos políticos se não for essa já tá errado, comecem certo pelo amor de Deus e simples político tem que da exemplo é difícil entender isso

Deixe uma resposta