Denúncias de hoje – envolvendo Dilma, Temer, Alckmin, Lula e Gleisi – são apenas o começo

O dia começou com as denúncias contra o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, que recebeu R$ 2 milhões de propina da Odebrecht com o codinome “Santo”. Em nota, Alckmin argumentou apenas que “era precipitado tirar conclusões de delações que não foram homologadas”, como se isso desqualificasse as denúncias.

Mais tarde foi o presidente Michel Temer. O vice de Dilma Rousseff teria recebido R$ 10 milhões em dinheiro vivo por meio de um assessor. Ele também nega qualquer “irregularidade”.

Pela Tarde foi a vez de Lula, alvo de mais uma denúncia na Operação Zelotes por ter recebido R$ 10 milhões de propina da compra dos caças Grippen. Seu filho Luis Cláudio da Silva também foi denunciado, já que serviu como laranja.

No final do dia foi a ex-presidente Dilma Rousseff, que pediu que Marcelo Odebrecht desse R$ 4 milhões para Gleisi Hoffmann. A senadora procurou Dilma para obter ajuda com suas dívidas de campanha de 2014. A presidente socorreu pedindo que Odebrecht repassasse o dinheiro para o ministro Edinho Silva, que então repassou para Gleisi. Isso não só atinge Gleisi, como coloca Dilma no caminho da cadeia.

Poucas vezes se viu tantas notícias tão graves contra tantos figurões da república em um único dia. Isso é só o começo do conteúdo das delações dos setenta executivos da Odebrecht, cujas revelações envolvem cerca de centro e trinta políticos, incluindo ministros do antigo e do atual governo, senadores, deputados, governadores e , além de funcionários de estatais.

 

Anúncios

11 comentários sobre “Denúncias de hoje – envolvendo Dilma, Temer, Alckmin, Lula e Gleisi – são apenas o começo

  1. Como os próprios delatores relataram, eles nunca estiveram com Alckmin para tratar de doações ou propinas. Ele nunca participou de nenhuma negociação. Todas as contribuições recebidas em campanhas eleitorais disputadas por Alckmin foram devidamente contabilizadas e informadas à Justiça Eleitoral pelos respectivos comitês financeiros cujos membros eram os únicos autorizados a falar em nome do candidato. Definitivamente, não há nada contra Alckmin.

  2. Quando vejo essa situação sinto uma enorme saudade de ; Castelo Branco, Costa e Silva, Medice e Geisel, com certeza essa farra nem teria começado.

  3. íÉ por isso que de tanta delação e os delatores estão ai rindo de nossa cara; tem que tirar o bem que foi adquirido com o dinheiro vender para o dinheiro recuperar e devolver ao MPF. e colocar a turma na cadeia, mas cadeia pra valer e não faz de conta., fazer vistoria nas contas bancarias dos implicados para. recuperar o dinheiro, mas isso tem que ser feito logo para não dar chance para eles usarem de algum, artifício e ficarem livre.

Deixe uma resposta