Para Barroso, descumprimento de liminar que afasta Renan “É Crime ou Golpe”

O ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso divulgou uma nota pública repudiando a decisão do Senado de não acatar a decisão liminar do ministro Marco Aurélio Mello dada na segunda-feira (5 de novembro), que afastava o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) de suas funções.

“Deixar de cumprir uma decisão judicial é crime de desobediência ou golpe de Estado”, disse Barroso.

No entanto, o ministro não comentou que ele próprio está impedido de participar da decisão de plenário por ser associado ao escritório do advogado que protocolou a ação proposta pela REDE questionando a presença de réus na linha sucessória da presidência da República.

O plenário do STF julga hoje se a liminar de Marco Aurélio Mello terá prosseguimento ou não. Para Renan, os motivos de Marco Aurélio foram políticos. “Marco Aurélio, quando se fala em encerrar supersalários, treme na alma”, afirmou.

Anúncios

Deixe uma resposta